A soldado Daiana Brandt, do Proerd, entregou presentes ao garoto
Pyetro foi incentivado a cultivar o sonho de se tornar policial militar

SENTINDO-SE EM CASA. Pyetro conheceu a Força Tática e recebeu conselhos

A tarde dessa terça-feira, dia 19, ficará marcada na vida do pequeno Pyetro Freitas Vilarinho, de seis anos. O garoto que sonha tornar-se policial militar teve a oportunidade de conhecer as instalações do 5º Batalhão da Polícia Militar de Montenegro (BPM). O menino contou por que quer ser um policial militar e ouviu conselhos de servidores para que construa um futuro melhor para ele e sua mãe.

Pyetro foi recepcionado pelo tenente Maximiliano Medeiros Ávila, comandante da Força Tática do 5º BPM. A visita ocorreu através da intermediação da vereadora Camila Carolina de Oliveira, que soube da vontade do menino em conhecer o batalhão. “O desejo dele em se tornar policial é genuíno, a gente tem que incentivar”, diz a vereadora.

A admiração pela Polícia Militar surgiu há pouco mais de dois anos, conta Andrielen Tainá Freitas, mãe do menino. Desde então, na hora de pedir presentes para a mãe Pyetro passou a querer itens como coletes e algemas. “Nas brincadeiras ele sempre quer ser o policial”, conta Andrielen.
A mãe se emociona ao falar sobre a realidade enfrentada por sua família – na qual parentes próximos acabaram presos – e afirma que quer um futuro diferente para o filho. “Se ele se tornar policial, vai ser a realização do sonho dele e do meu também”, afirma Andrielen.

Pyetro gostou do passeio e não poderia ser diferente. As soldados Aline Paim e Daiana Brandt entregaram mimos ao garoto e incentivaram seu sonho. O menino aproveitou a oportunidade para fazer um pedido especial, ele quer ganhar uma farda igual a usada pelos policiais da Força Tática. A solicitação foi anotada pelo tenente Ávila que, logo, também agendou a data de aniversário do menino e o contato telefônico da mãe.

Pyetro passeou pelas salas da Força Tática e demais dependências do 5º BPM

Para o tenente, a difícil realidade vivida pela família de Pyetro pode sim ser mudada, desde que haja força de vontade e dedicação por parte da criança. “A realidade dele é semelhante a de muitos policiais que trabalham aqui com a gente. Muitos vêm de famílias desestruturadas, mas superaram as dificuldades e se tornaram pessoas do bem, que hoje servem a sociedade”, acrescenta o comandante. “A Brigada Militar está de portas abertas para a comunidade. Fico feliz em saber que existem crianças que se inspiram nos policiais, elas são o futuro da corporação”, conclui o tenente Ávila.

Deixe seu comentário