Até novembro do ano passado, foram 19 mortes nas nossas estradas. Em todo 2017, número chegou a 26. Foto: Arquivo Jornal Ibiá

Levantamento do Detran aponta o índice de 1,72 óbitos por mês nas rodovias

Dezenove pessoas morreram vítimas de acidentes de trânsito nos cinco municípios da área de cobertura do Jornal Ibiá (Montenegro, Brochier, Maratá, Pareci Novo e São José do Sul), até novembro de 2018. Os números dos Departamento Estadual de Trânsito (Detran/RS), representam média mensal de 1,72 óbitos. O levantamento mais recente ainda não contabiliza o mês de dezembro.

Na comparação com todo o ano passado, houve queda no número de tragédias em acidentes. Em 2017, o índice ficou em 2,1, quando 26 pessoas perderam a vida nas nossas estradas. Em todo o Estado, até novembro de 2018, foram 1.449, sendo 79% homens. Nos 12 meses de 2017, foram 1.741.

A chefe da Divisão de Educação do Detran/RS e pedagoga, Laís Silveira, salienta a importância de os motoristas tomarem atitudes conscientes ao dirigir. “Todos os acidentes têm por trás uma ou mais infrações que foram cometidas pelos condutores dos veículos envolvidos. No ano passado, foram mais de um milhão de autuações por excesso de velocidade”, exemplifica.

Um trânsito seguro passa por ter um comportamento adequado, visando o autocuidado e o cuidado de terceiros. “O excesso de velocidade é uma causa comportamental, assim como a embriaguez ao volante, a ultrapassagem em local proibido, o uso do celular, não usar o cinto de segurança. Tudo isso é culpa do condutor”, enumera. Laís frisa, ainda, a necessidade de se ter atenção redobrada durante todo o trajeto.

O Detran/RS trabalha em campanhas de conscientização para tentar atenuar os números. “O valor segurança precisa ser muito trabalhado para as pessoas começarem a utilizá-lo como uma prioridade”, resume. Nessa linha, também há ações de educação para o trânsito em escolas das séries iniciais. Em outra frente, existe a fiscalização e autuação dos maus condutores.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) também coloca a desobediência às leis entre as principais causas das tragédias. O órgão alerta e orienta os usuários sobre pontos críticos como: excesso de velocidade, álcool e direção, ultrapassagens indevidas e falta do uso do cinto de segurança.

Riscos
Excesso de velocidade
Álcool e direção
Ultrapassagens proibidas
Uso do celular
Falta do cinto
Falta da cadeirinha

Deixe seu comentário