O trabalho nos Bombeiros é realizado por dois apenados, um deles bastante experiente no ramo da construção

OPORTUNIDADE de trabalho e nova chance para a vida fora da ilegalidade

O trabalho de detentos do regime semiaberto do Instituto Penal de Montenegro (IPM) está contribuindo para melhorias no quartel do Corpo de Bombeiros Militares (CBM). A parceria entre IPM e CBM visa promover melhor acomodação para servidores e ao público que vai ao local em busca de serviços e informações.

A sede dos Bombeiros de Montenegro tem passado por uma série de reformas. Uma delas ganha destaque pelo emprego da mão de obra de homens que cumprem pena IPM. “Os Bombeiros, sabendo que ajudamos outras instituições, nos pediram ajuda. Prontamente coloquei dois homens à disposição para esse trabalho”, relata o diretor do Instituto Penal, Nairo Resta Ferreira. “Tínhamos salas muito grandes e, ao mesmo tempo, não possuíamos acomodações adequadas para, por exemplo, receber quem vem até aqui solicitar um alvará”, diz o sargento Ricardo Viegas de Mattos, responsável pelo quartel, sobre a necessidade da obra.

A execução da reforma também teve outros apoiadores. “Com a mão de obra o IPM, nos faltava material. A Prefeitura mandou areia, tijolos e cimento, uma loja de material de construção nos doou outros materiais, e também ganhamos a tinta para pintura”, conta Mattos.

Salas amplas foram divididas, rebocadas e pintadas no processo de forma conduzido pelos apenados

Mão de obra prisional
Ao todo dois detentos do IPM foram designados para executar as reformas no quartel. Um deles possui experiência no ramo da construção civil e está ensinando o ofício ao seu ajudante. “Eles estão sendo muito bem disciplinados pela Susepe, chegam no horário certo para trabalhar, mostram qualidade no serviço… Certamente, quando concluírem a pena vão se dar muito bem, pois, estão preparados para trabalhar”, avalia o sargento Ricardo Mattos.

Nas instituições onde os apenados prestam serviços, o diretor do IPM pede para que os apenados sejam tratados com respeito, da mesma forma que seria tratado qualquer outro trabalhador em situação de liberdade. “É muito importante o trabalho prisional para que a gente possa integrar eles a sociedade, para que se sintam motivados, valorizados e rompam os vínculos com o mundo do ilícito”, avalia o policial penal.

A mão de obra prisional também contribuiu, recentemente, para reformas no alojamento da Escola de Soldados da Brigada Militar de Montenegro. O 5º Batalhão também utiliza os serviços de detentos em suas reformas. Em Porto Alegre, os apenados do IPM assumiram a reforma da nova sede administrativa da Susepe, que antes do incêndio – ocorrido em julho do ano passado – funcionava junto ao antigo prédio da Secretaria de Segurança Pública.

O que está sendo feito no quartel
Readequações de paredes foram feitas para criar novas salas. A seção técnica voltada ao atendimento de alvarás ganhou mais espaço e o público passará a contar com banheiro o que, até então, não havia no espaço. O setor administrativo deixou de ser uma única peça e foi transformado em duas salas, o dormitório também foi reformado. “Temos um alojamento, para o efetivo que faz 24 horas de serviço aqui, que não tinha ventilação. Retiramos uma porta que não abria e fizemos uma janela”, explica Mattos.

O 2º sargento PME, Valmir César do Amaral, tem acompanhado as várias fases do quartel. Foto: Bombeiros de Montenegro

Outra novidade
Desde a semana passada, a torre do quartel dos Bombeiros passou a ter iluminação. A instalação das lâmpadas ocorreu no dia 15, com apoio de uma equipe dos Bombeiros de Novo Hamburgo.

O 2º sargento do Programa Mais Efetivo, Valmir César do Amaral, admira as luzes que podem ser vistas de longe pelos demais moradores e por quem passa pelas rodovias da cidade. Desde que se formou na antiga escola, neste mesmo quartel, nunca havia visto a torre iluminada.

Deixe seu comentário