Estatísticas apontam redução no número de latrocínios, roubos a banco e abigeato no Rio Grande do Sul foto: Rodrigo Ziebell/SSP

Um balanço sobre a criminalidade no primeiro semestre de 2017, divulgado pela Secretaria da Segurança Pública (SSP) nesta quarta-feira, aponta diminuição de 29% nos crimes de latrocínio (matar para roubar) em relação ao mesmo período de 2016. Porto Alegre registra queda ainda maior, chegando a 58,3%.

Os números são avaliados como positivos pelo secretário Cezar Schirmer. “Não foi apenas uma manutenção da curva descendente. Quase dobramos o percentual de queda em relação ao primeiro trimestre, no qual já era observada a redução. Um dado significativo, que demonstra a efetividade da estratégia que colocamos em prática”, ressaltou.

O secretário citou o trabalho qualificado de investigação da Polícia Civil e o reforço no policiamento ostensivo como as principais causas da queda nos indicadores. Para Schirmer, latrocínios em queda influenciam diretamente na sensação de segurança. “É um crime que abala o cotidiano de uma comunidade. Os cidadãos, cientes que o cenário está mudando para melhor, possuem mais tranquilidade para seguir com a sua rotina”, disse.

Schirmer destacou, ainda, o apoio do governo nas ações empreendidas na área da segurança pública. “Sensível às demandas da segurança, o governador José Ivo Sartori promoveu o aumento do orçamento da SSP em 19% neste ano. Está cumprindo o calendário de reposições salariais dos servidores, chamou novos policiais civis e militares e ainda autorizou a abertura de novo concurso público. Estas e outras ações contribuem diretamente para a redução de grande parte dos indicadores”, comentou.

Ocorrências de abigeato reduzem 23,5%
Os casos de abigeato (furto e abate de gado), uma das principais preocupações do setor produtivo gaúcho em várias regiões, incluindo o Vale do Caí, reduziram 23,5% no primeiro semestre de 2017. Foram 5.171 ocorrências no mesmo período do ano passado e 3.958 neste ano. “Um crime que afeta diretamente o interior e que estamos enfrentando de maneira consistente, por meio da força-tarefa da Polícia Civil e das patrulhas rurais da Brigada Militar”, salientou o secretário Schirmer. A expectativa da SSP é intensificar o combate aos crimes do campo com o ingresso dos novos policiais civis e militares promovido nos últimos meses.

Casos de homicídio doloso aumentaram
Mesmo com a redução em quase todos os indicadores criminais, o de homicídio doloso registra alta de 7,9% no primeiro semestre em relação ao mesmo período de 2016. O trabalho desenvolvido na capital, no entanto, se mostrou eficaz. Os índices em Porto Alegre apontam redução de 10,2%. “Muito disso se deve ao planejamento que elaboramos. Com o reforço dos novos servidores, queremos que os números do próximo trimestre sejam ainda melhores”, disse o secretário Schirmer.

O impacto da Operação Pulso Firme, que transferiu 27 criminosos de alta periculosidade para presídios federais, na última sexta-feira, deve ser notado nos próximos meses. “O fim da comunicação dos líderes criminosos com suas facções deverá influenciar diretamente na redução dos homicídios. Cerca de 85% dos assassinatos no Rio Grande do Sul estão ligados, direta ou indiretamente, ao tráfico e ao consumo de drogas. Nesse contexto, a desarticulação da cadeia de comando é vital”, observou o secretário.

Roubos a banco caem na capital e no interior
Os furtos e roubos a bancos também registraram queda em relação ao primeiro semestre de 2016. Os furtos, que incluem os arrombamentos a caixas eletrônicos, tiveram redução de 43,2% em todo estado e de 55% em Porto Alegre. Os roubos diminuíram 2,6% em âmbito estadual e 33,3% na capital.

Deixe seu comentário