delegado azeredo diz que é preciso controlar a ambição e o desejo de se dar bem

A facão. Após tentar enganar aposentada, golpistas foram colocados para correr por ex-nora da vítima. Delegado dá dicas para não cair na lábia dos bandidos

Dois homens tentaram aplicar o golpe do bilhete premiado em Montenegro. O caso de estelionato foi interrompido pela ex-nora da vítima que usou um facão para colocar os golpistas para correr. A Polícia Civil orienta à população para que fique atenta as falsas promessas de dinheiro fácil.

A aposentada Elda Nervis Dezordi, de 69 anos, se deslocava pela rua Ernesto Zietlow, no bairro Santo Antônio, em Montenegro, quando foi abordada por um homem de cerca de 60 anos. A abordagem ocorreu na manhã do dia 25. O idoso disse que estava perdido e que precisava ir até uma agencia bancaria, pois, havia ganho um prêmio da loteria.

Enquanto a mulher conversava com o dono do bilhete, um homem mais jovem, com cerca de 30 anos, se aproximou e perguntou se ambos estavam perdidos. Elda respondeu que ela não estava perdida e que havia parado para ajudar o homem que solicitou informação sobre onde ficaria o banco. O rapaz seguiu conversando e pediu para ver o bilhete. Após ler o papel, ele afirmou que existia um valor a ser recebido, mas que para isso era preciso ter uma conta bancária para depositar a quantia.

O dono do bilhete disse que não possuía conta. Foi então que o jovem sugeriu que a mulher emprestasse sua conta para que o procedimento de depósito pudesse ocorrer. Porém, antes da entrada do valor do bilhete, a vítima teria de fazer uma retirada no valor de R$5 mil.

Por sorte, a ex-nora de Elda, Luana Andrade, chegou ao local onde ocorria a conversa e interrompeu a tentativa de golpe. Luana perguntou o que estava acontecendo e disse que iria ao carro e já retornaria. Ao ver que se tratava de uma tentativa de estelionato, ela resolveu agir imediatamente. “Eu ia entrar no carro pra chamar a brigada, mas me deu tanta raiva que peguei o facão e corri atrás deles”, conta.
Os golpistas conseguiram escapar. O caso não chegou a ser registrado na polícia..

Delegado orienta sobre promessas de dinheiro fácil
“Ninguém dá nada de graça para os outros”, alerta o delegado titular da Delegacia de Pronto Atendimento (DPPA) de Montenegro, Eduardo Azeredo Coutinho. Desconfiar das promessas de dinheiro fácil é a principal arma de defesa para que os cidadãos não caiam em golpes de estelionato, afirma o delegado.

Controlar a ambição diante da possibilidade de obter vantagem sobre o outro também pode ser determinante para não ser lesado em crimes como o do bilhete premiado, ou de outros tipos que também envolvam dinheiro. “A pessoa que é vítima do estelionatário, normalmente, quer ter uma vantagem indevida. Ela recebe a proposta e pensa que vai enganar o outro, mas acaba se prejudicando”, observa.

Por último, o delegado Azeredo aconselha a população a acreditar mais nos casos relatados pela mídia, já que está, frequentemente, a divulga informações sobre prevenção e exemplos de pessoas que caíram na lábia de indivíduos de má fé.

Deixe seu comentário