A DPRI fica junto à Central de Polícia do Vale do Caí

POLÍCIA CIVIL alerta sobre o risco das trocas de mensagens

Do dia 1º de janeiro até 18 de fevereiro deste ano, a 1ª Delegacia de Polícia Regional de Montenegro (DPRI) contabilizou 21 casos do chamado golpe dos nudes. Para a polícia o número é ainda maior, só que muitas vítimas não denunciam o crime. Em Salvador do Sul, um homem perdeu mais de R$60 mil, na cidade já foram registrados 4 casos.
A grande preocupação da polícia é evitar que sejam feitas novas vítimas. O fato mais recente foi na semana passada em Pareci Novo – o município tem 3 ocorrências desta natureza. Também há registros em Montenegro (3), Barão (3), Bom Princípio (3), e Feliz, que lidera a lista com 5 vítimas.

O valor mais alto repassado aos meliantes, até agora informado à polícia, foi da vítima salvadorense, mas, em outros casos há relatos de transferências de R$3 mil e R$4 mil. “Aqueles que procuram a polícia são orientados a não transferir nenhum valor e são informados que se trata de golpe”, relata Marcelo Farias Pereira delegado regional da 1ª DPRI.
O delegado explica que o golpe segue padrões, com foco em homens a partir da meia idade. Ele orienta os usuários das redes sociais a não trocarem mensagens com conteúdos de imagens íntimas (foto/vídeo). Os casos denunciados à polícia foram encaminhados ao Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC).

Delegado regional Marcelo Farias Pereira. Fotos: Arquivo Jornal Ibiá

Entenda como funciona o golpe
A vítima, homem, recebe uma solicitação de amizade no Facebook (ou através de outras redes sociais), o perfil é de uma menina. Ele aceita e ambos começam a conversar pelo Messenger ou WhatsApp. A conversa evolui e passam a se comunicar e trocar nudes. Dias depois, a vítima recebe a ligação de um homem que se apresenta como pai da jovem. O sujeito diz que a filha é menor e que irá denunciá-lo por pedofilia. Além disso, conta que a garota precisou de tratamento psicológico e pede dinheiro.

Em alguns casos, o falso pai chega a dizer que a polícia já está ciente do caso e cita nomes de agentes da Polícia Civil para tentar pressionar a vítima a fazer o repasse do dinheiro solicitado. O bandido diz que se o pagamento for realizado não levará o caso adiante.

Existe ainda a ameaça de “vazamento de nudes”. Nesse caso, é feita ameaça de colocar em circulação, nas redes, fotos íntimas da vítima. A melhor forma de evitar situações como essas é: “não troque nudes. Mas se trocar e ocorrer algum tipo de chantagem, procure a polícia”, reitera o delegado Marcelo.

Aplicativo ensina a não cair no conto do vigário
O “PC Alerta!” foi lançado em novembro do ano passado e está disponível para download na Play Store dos smartphones. O aplicativo é baseado na cartilha sobre golpes virtuais, lançada pela Divisão de Comunicação Social (DCS) da Instituição em junho de 2020. Os 15 golpes preferidos dos estelionatários têm seu modus operandi esmiuçado pelo aplicativo, que também traz dicas de como não cair no “conto do vigário”.

Versão Web
Quem prefere conferir o aplicativo pela versão Web, pode acessar o endereço https://applink.com.br/pcalerta e contar com todas as funcionalidades disponíveis na versão para Android.

Delegacia Online
O PC Alerta traz ainda um link direto para o site da Delegacia Online (www.delegaciaonline.rs.gov.br), o que facilita para o cidadão realizar denúncias, o próprio registro de uma ocorrência envolvendo esses golpes, ou mesmo outros delitos.

Deixe seu comentário