Inácio José Lauermann ( ao centro) é um dos agricultores que auxilia o combate a incêndios em Maratá

convênio de Serviços Civis Auxiliares de Bombeiros também está em tratativas

Há poucas semanas, o produtor rural Inácio José Lauermann, e seu trator John Deere 5078E, auxiliaram no combate a um incêndio na incubadora industrial, instalada na localidade de Esperança, em Maratá. Esse foi mais um dos vários apoios de combate ao fogo já prestado por Inácio, quando solicitado pela secretaria municipal de Agricultura e Meio Ambiente. A colaboração dos homens do campo vem de longa data ajudando a evitar grandes perdas em sinistros na cidade. Mas agora, esses prestadores de ajuda passam a contar com melhores condições e planejamento para realizar o primeiro socorro quando chamados. A cidade também está perto de efetivar a assinatura de convênio com os Bombeiros Militares do Estado para implementação do Scab (Serviços Civis Auxiliares de Bombeiros).

Na prática, proprietários de tratores e caminhões com tanque, onde pode ser armazenada água, são solicitados para controlar os incêndios na cidade – quando há necessidade – até a chegada dos Bombeiros Militares de Montenegro. Conforme o secretário municipal de Agricultura e Meio Ambiente, Elson Wadenphul, essa ajuda é fundamental, tendo em vista o tempo de deslocamento dos bombeiros até chegar em Maratá.

Em geral, esses tanques são abastecidos em açudes próximos ao local do incêndio. O problema se dá quando não há água por perto. Pensando em como solucionar essa questão, a secretaria mapeou 15 pontos estratégicos, na cidade, onde poderão ser realizados os abastecimentos. Segundo Elson, falta pouco para o planejamento ser concluído. “Falta conversar com quatro produtores que têm açudes. Em 10 dias os pontos devem estar prontos”, relata.

“A secretaria de Meio Ambiente está orçando valores de placas de identificação, vamos colocá-las para informar que o uso é somente para momentos de sinistros, de fogo, para não ter outro tipo de uso que gere impacto ambiental”, explica o gestor. “Temos que ter essa estratégia muito bem montada e divulgada”, acrescenta Elson.

Alguns pontos ainda precisam ser estruturados para dar acesso aos mangotes de captação de água. A secretaria de Obras realiza intervenções nesses locais durante esta semana. “Essa questão do volume de água veio a partir das lideranças das localidades e dos próprios voluntários, que tinham a preocupação de onde iriam retirar a água no momento que aceitassem ser chamados para prestar ajuda”, justifica o secretário.

Os secretários Elson Wadenphul e Luciano Grings mostram o trabalho feito no Arroio Esperança

A seca registrada no Estado aumentou a necessidade de ter pontos estratégicos para abastecimento de água dos veículos que auxiliam no socorro. “É uma preocupação muito grande que a gente tem não só agora no período de estiagem, que se agrava sim, mas, temos que lembrar que esse tipo de sinistro pode acontecer a qualquer época do ano”, enfatiza Elson.

O Arroio Esperança é um dos pontos que já está preparado para ser usado em caso de incêndio. “Esses acessos facilitam bastante. Isso já é uma reivindicação nossa de anos que só agora foi atendida”, conclui o voluntário Inácio José.

Corporação de Bombeiros Socorristas Voluntários é meta para este ano
Além de melhorar as condições para atuação dos produtores rurais, no combate a incêndios, Maratá está em processo de estruturação para a instalação de uma unidade de Bombeiros Socorristas Voluntários. Em setembro do ano passado foi criada a Associação de Bombeiros Socorristas Voluntários de Maratá, de caráter privado. A entidade tem como meta dispor de estrutura e voluntários preparados para prestar socorro ainda em 2022.

Arroios e açudes estão sendo preparados para serem pontos de captação de água

O secretário de Administração e Fazenda, Luciano Grings, explica que o próximo passo a ser dado é a assinatura de um convênio, entre a Administração Municipal e os Bombeiros Militares do Estado, para adesão aos Serviços Civis Auxiliares de Bombeiros (Scab). “A Associação vai prestar o serviço para a Prefeitura. Essa, por sua vez é responsável pelo convênio para o Scab”, explica Luciano. “Através do Scab, os bombeiros voluntários serão amparados por militares, receberão treinamento e veículos para efetivar a criação da corporação em Maratá”, acrescenta.

Um pavilhão, no Parque da Oktoberfest, é visto como possível local para instalação da sede dos Bombeiros Socorristas. O prefeito em exercício Marcus Joner destaca que três bombeiros deverão atuar em cada turno, prestando atendimento 24 horas por dia, na prevenção e no combate aos incêndios e demais ações relacionadas às emergências.

“Em março teremos uma reunião com os Bombeiros Militares, tão logo, queremos assinar o convênio e ver as obrigações a serem cumpridas para dar início às atividades”, pontua o secretário Luciano.

Deixe seu comentário