A parte prática da capacitação ocorreu em Caxias do Sul Foto: Patram

PATRAM. Policiais concluem curso e estão aptos a operar aeronaves remotamente pilotadas

O Pelotão Ambiental de Montenegro passará a usar drones como ferramenta de apoio ao trabalho de fiscalização a crimes ambientais. Para garantir melhor desempenho no manuseio dos equipamentos e estar ciente sobre o que rege a legislação sobre esse tipo de aeronave, integrantes do Comando Ambiental da Brigada Militar participaram de um Curso de Operador de Aeronaves Remotamente Pilotadas (RPA).

O curso, realizado em modalidade EAD, foi ministrado pelo Batalhão de Aviação da Brigada Militar. Ao todo foram 80 horas/aulas, nas quais foram abordados conteúdos como História da aviação da Brigada Militar, Legislação, Meteorologia, Segurança de Voo e Teoria de Voo, além da parte prática. A parte prática foi desenvolvida durante dois dias, nessa segunda e terça-feira, 10 e 11, na cidade de Caxias do Sul. A conclusão do processo de capacitação ocorreu nessa terça-feira.

O comandante do Pelotão Ambiental de Montenegro, tenete Luís Fernando da Silva, destaca que o uso desses equipamentos requer operador habilitado e equipamento registrado na Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), no Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) e na ANATEL.

“O uso do RPA é de extrema importância na atividade de fiscalização ambiental, otimizando e potencializando a capacidade operacional do efetivo”, explica o comandante. “Com o uso deste equipamento é possível fazer levantamentos em locais de crimes ambientais, com muito mais qualidade, permitindo a cobertura de grandes espaços territoriais em um tempo muito menor, além de permitir o monitoramento e localização de infratores, nos casos de crimes contra a fauna, por exemplo”, acrescenta Luis Fernando.

Deixe seu comentário