Dupla teria participado do assassinato de três usuários de drogas. Delegada deve pedir prisão preventiva deles foto: Divulgação/PC

Desdobramento. Prisões realizadas nesta segunda-feira ajudam a elucidar três homicídios ocorridos em janeiro

A sequência de mortes de usuários de drogas em São Sebastião do Caí no começo do ano deixou a população alarmada. Porém, a resposta das forças de segurança pública foi rápida e, em fevereiro, dois dos principais acusados dos crimes foram presos na Operação Emoções. Ontem ocorreu, no bairro Navegantes, a Operação Emoções 2, que resultou na prisão de outros dois indivíduos envolvidos em homicídios ocorridos em janeiro.

A expectativa da delegada Cleusa de Oliveira Spinato é que as mortes de um adolescente de 17 anos, de Anderson Brochier e de Leandro Celestino dos Santos, o Bacaninha, sejam solucionadas com as prisões de Peterson Nogueira Knapp, o Pepe, de 23 anos, e Moisés de Oliveira Nogueira, 22 anos, conhecido como Bicudo. Segundo ela, os dois foram detidos de forma temporária. “Ainda há algumas diligências a se fazer, mas já foi comprovada a participação deles (nas mortes). Inclusive, será representado pelo deferimento da prisão preventiva”, adiantou.

Cleusa garantiu que investigação dos homicídios é a prioridade

A delegada explicou que a operação de ontem complementa a realizada em fevereiro. “No curso da investigação, ficou apontada a participação de outros elementos, bem como também ficou excluída a participação de alguns que estavam na primeira operação”, destacou. Durante a ação, que contou com um efetivo de 15 policiais civis e 11 militares, foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão e dois de prisão. Além dos indivíduos presos, a polícia apreendeu uma quantia não revelada em dinheiro e um celular.

Para Cleusa, a explicação para não se encontrar uma arma na residência dos acusados é bastante lógica. “Na medida em que eles foram vendo que as investigações estavam avançando, se eles tinham alguma coisa (que os ligasse aos crimes), trataram de se desfazer”, ponderou. Ela ressaltou ainda a diversidade de meios buscados pelos criminosos para ocultarem os corpos.

Conforme a delegada, primeiro os assassinos despejaram um corpo no Rio Caí, que foi encontrado em Pareci Novo. Na sequência, foi encontrada parcialmente enterrada a segunda vítima. Já o terceiro foi arremessado no rio amarrado com uma corda, mas foi encontrado rapidamente com o auxílio dos mergulhadores do Corpo de Bombeiros Voluntários de São Sebastião do Caí.

Na primeira fase da operação, foram presos Roberto Carlos da Silva, vulgo Beto, 20 anos, e Emerson Nogueira Knapp, 21. A ação recebeu o nome de Emoções por um dos suspeitos ser homônimo do famoso cantor Roberto Carlos.

Expectativa é de redução no número de mortes
Com mais essas duas prisões, Cleusa espera que a onda de violência em São Sebastião do Caí seja aplacada. Para ela, janeiro foi o mês mais atípico, com cinco homicídios, sendo que quatro deles teriam relação com drogas.

A delegada sublinhou que as mortes não configuraram uma guerra do tráfico, mas sim ajuste de contas. “Os que foram mortos não têm envolvimento no tráfico, só como usuários”, ressaltou.

A delegada salientou ainda que a investigação dos homicídios é a prioridade máxima na Delegacia de Polícia de São Sebastião do Caí. “Nem fechamos o terceiro mês do ano e uma cidade de 24 mil habitantes registra seis homicídios consumados e um tentado. É um número muito elevado”, destacou a policial. Ela lamentou ainda o fato de a violência se espalhar na comunidade conhecida como “Coréia”, que é a parte mais pobre e próxima do Rio Caí, no bairro Navegantes.

Deixe seu comentário