Thaiane de Oliveira faleceu na madrugada do dia 24 de julho, vítima de um disparo no peito. Foto: reprodução Facebook

O assassinato da agente de saúde de Thaiane de Oliveira, de 29 anos, ocorreu dentro da casa onde ela vivia com o marido, na madrugada do dia 24 de julho. A jovem foi morta, supostamente de forma acidental, pelo próprio companheiro com um disparo de arma de fogo que lhe acertou o peito.

Neste sábado, 10, amigos e familiares de Thaiane irão se reunir, às 16h20min em frente ao Centro de Eventos da cidade, de onde partirão em caminhada, passando pela frente da Prefeitura, delegacia de polícia e posto da Brigada Militar. Em caso de chuva, a ação será transferida para amanhã, domingo, no mesmo local e horário. Conforme uma ex-vizinha da vítima, que prefere não ter o nome citado, a iniciativa tem como objetivos homenagear a jovem e também pressionar a Polícia para que o caso seja esclarecido.

Até agora, o marido, que é policial militar, não prestou depoimento à Polícia Civil. Conforme o delegado responsável pela investigação, Rodrigo Zucco, o depoimento só será dado quando a PC receber o laudo da perícia realizada no local do crime. Na semana passada, o delegado disse que a intenção era confrontar as informações do relatório da perícia com as declarações do atirador, dadas em depoimento.

O delegado chegou a dizer ainda que o interrogatório poderia ser feito no hospital onde o homem está internado desde o dia do crime, em Porto Alegre. Contudo, nesta sexta-feira, 9, Zucco afirmou que isso não irá ocorrer. “Vamos aguardar o laudo, que não ficou pronto. E só vamos ouvir o marido, mesmo que tenha alta, após o laudo estar em nossas mãos”, conclui.

Deixe seu comentário