Em Triunfo um homem morreu na colisão entre a motocicleta em que estava e um trator. foto: reprodução

TRÂNSITO. Três municípios da região tiveram crescimento no número de óbitos no ano passado frente a 2018

A BR-386, composta por 360,2 quilômetros de extensão, que vai desde Iraí até Canoas, é considerada a primeira do ranking das rodovias gaúchas com maior número de mortes no ano passado, segundo levantamento do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/RS). Em 2019, foram registrados 88 óbitos nas cidades por onde ela passa. Na região, Triunfo, Montenegro e Nova Santa Rita contabilizaram 15 mortes, cinco a mais que em 2018.

As BRs 116 e 290 também aparecem entre as responsáveis por 32% do total 962 mortes no Rio Grande do Sul em 2019. As três BRs também têm em comum o fato de serem saídas da região metropolitana de Porto Alegre. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, os tipos de acidente variam nessas vias, conforme o trecho. A imprudência dos motoristas que ultrapassam o limite de velocidade aumentam o risco de colisão frontal, tipo de acidente que em geral faz vítimas fatais.

Na região, Triunfo teve sete mortes em 2019, cinco a mais que em 2018. Um dos casos foi a morte de Volmar Gomes da Silva Junior, de 33 anos, registrada em 1º de outubro, dois dias antes de seu aniversário. Ele conduzia uma motocicleta quando se envolveu em um acidente com um trator. O homem morreu no local do acidente. Volmar não era habilitado para conduzir motocicleta.

Montenegro manteve os mesmos números em ambos os anos, foram quatro mortes em cada um deles. Um descuido poderia ter aumentado os registros. Um táxi de Porto Alegre se envolveu em uma colisão na manhã do dia 12 de janeiro. O acidente ocorreu no quilômetro 425 da BR-386, em Montenegro. O motorista da Spin havia deixado um passageiro no Polo Petroquímico. Quando retornava à Capital, por volta das 7h50min, cochilou pouco depois de passar o posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Nova Santa Rita apresenta os mesmos números de Montenegro, quatro óbitos em cada ano. Um dos acidentes que chamou à atenção, registrado na cidade, ocorreu no dia 6 de janeiro de 2019. Um ciclista de 74 anos morreu após um choque entre sua bicicleta e um veículo Fiat Uno, no quilômetro 435.
Em Canoas foram cinco mortes no ano passado, frente a uma em 2018. No dia sete de março, uma colisão envolvendo três veículos, no km 443, resultou em três mortes.

Orientações da PRF para prevenção de acidentes
A PRF orienta os motoristas a guardarem uma distância segura com relação aos demais veículos, não realizarem ultrapassagens forçadas e em locais proibidos pela sinalização, obedeerem a velocidade regulamentada para a via, e utilizarem sempre o cinto de segurança em todos os ocupantes do veículo.
A manutenção do veículo também é muito importante. Pneus devem estar em boas condições de uso. Em caso de chuva, o motorista, mesmo estando em um veículo com pneus em bom estado, deve diminuir a velocidade.
A distração, geralmente causada pelo manuseio do celular ao volante, tem sido responsável por muitos acidentes. Desta forma, a orientação é para que o celular não seja utilizado de maneira alguma enquanto se está dirigindo.
A PRF também reforça que qualquer quantidade de álcool já é suficiente para tornar os reflexos do motorista mais lentos, diminuindo o tempo de reação e gerando sério risco de acidentes.

Deixe seu comentário