No treinamento prático, o drone foi colocado para voar nas imediações do quartel

AGORA É PRA VALER. Uso do equipamento permite mapear áreas e agilizar atendimentos de ocorrências

Integrantes do Corpo de Bombeiros Militares (CBM) de Montenegro e dois agentes do Instituto Penal de Montenegro (IPM) receberam treinamento para operar drones. A qualificação foi realizada nessa terça-feira, 14, na sede do quartel dos bombeiros. O uso do equipamento promete dar mais celeridade na resolução de diversas ocorrências atendidas pelos bombeiros.

As instruções teórica e prática ocorreram sem custos ao quartel, uma cortesia dos empresários William Motta e Juliane Hansen Motta, da WD Drones. Foram eles os responsáveis por aplicar o treinamento, que ocorreu nos turnos da manhã e tarde.

“Orientamos eles sobre princípios de voo, meteorologia, legislação brasileira e operação da aeronave”, explica William. As instruções focaram ainda nas principais atividades dos bombeiros, como combate a incêndios florestais e resgates de pessoas perdidas em grandes áreas de mata. Os participantes recebem certificado válido para operação deste tipo de aeronave.

Juliane afirma que o conhecimento sobre tecnologia demonstrado pelos alunos foi valioso para a absorção do conteúdo repassado. “Eles demonstram uma capacidade muito grande de colocar em prática o que nós passamos”, diz a instrutora. A soldado Francine Dotta, única mulher entre o grupo de 16 homens habilitados no quartel, destaca a importância de ter participado da capacitação. “A gente tem que se atualizar, pois é algo que será utilizado, cada vez mais, em todas as áreas da segurança”, justifica a soldado. “Existem locais de difícil acesso, o drone vai nos mostrar o caminho mais fácil para chegar neles e também será possível sabermos quais materiais devemos levar para a ocorrência”, acrescenta Dotta sobre a importância do uso de drone.

O treinamento estava previsto para ocorrer no mês de maio, mas a instabilidade climática não permitiu. Contudo, o responsável pela corporação, sargento Ricardo Mattos, aproveitou esse período para fazer aulas individuais. Nessa terça-feira, Mattos mostrou que está bem preparado para operar as pequenas aeronaves e até auxiliou a equipe da WD a repassar as instruções ao grupo de colegas. “Fora o treinamento de hoje, o William já vem me preparando há mais de um mês para que, se houvesse uma ocorrência, o equipamento pudesse ser utilizado”, diz o sargento.

Questões sobre legislação e cuidados com equipamento foram repassadas no turno da manhã. Foto: CBM/Montenegro

“Cada vez nos surpreendemos mais com as possibilidades de uso do drone. Inclusive, já queremos adquirir um novo, com câmera térmica, que facilita buscas em mata. Para nós, é gratificante ter o equipamento e poder melhorar nossa capacidade de atendimento”, acrescenta o responsável pelo quartel.

A empolgação dos bombeiros contagia a equipe do Instituto Penal de Montenegro. O diretor do IPM, Nairo Resta Ferreira, participou do treinamento. Segundo ele, ainda não há previsão de compra de drone para uso na casa prisional, mas seu emprego seria de grande importância em situações de rondas noturnas e visualização do pátio, entre outros.

Drone apreendido pela Polícia transformado em ferramenta de trabalho no Corpo de Bombeiros
No mês de maio, o Corpo de Bombeiros de Montenegro recebeu um Drone DJI Mavic Pro, fruto de apreensão durante uma tentativa de arremesso de drogas na Penitenciária Modulada. O equipamento foi entregue à corporação pela Polícia Civil de Montenegro, atendendo a uma antiga demanda dos profissionais do CBM. A partir de então, formou-se uma força-tarefa para que o equipamento pudesse ser colocado em uso.

“Recebemos o drone sem controle nem bateria. O William testou e viu que ele era operacional. Aí começou a saga. Além do controle e do carregador, uma hélice estava quebrada, precisava de configurações. O Willian nos doou bateria, todo o serviço de teste e operacionalização”, relata o sargento dos bombeiros.

O uso de drones deve facilitar atendimentos realizados pelos bombeiros, como a localização de pessoas e animais, e no mapeamento de áreas em chamas

Deixe seu comentário