PMs do Vale do Caí foram integrados à Operação Avante, na capital foto: BM/Divulgação

Os responsáveis pelo efetivo da Operação Avante 2017 fazem, na segunda-feira, na sede do Comando-Geral da Brigada Militar, uma avaliação dos rumos da terceira etapa da força-tarefa na capital. Estará em pauta a possibilidade da operação, iniciada no último dia 16, apoiar municípios da Região Metropolitana, o que pode beneficiar também a região de Montenegro, onde a possibilidade de migração da criminalidade seja maior. Participam os comandantes geral, Andreis Silvio Dal’Lago, do policiamento da capital (CPC), Jefferson de Barros Jacques, e do policiamento metropolitano (CPM), Altemir Silva de Lima.

Dal’Lago informa que a gestão operacional da BM prevê diariamente a movimentação dos grupos criminais na capital. “Detectamos possível migração para a área metropolitana. Está em avaliação uma manobra estratégica operacional nece

ssária para prevenir delitos, especialmente contra a vida”, alerta.
A nova fase da Avante conta com cerca de 600 agentes – 400 policiais militares, incluindo oito agentes da região, sendo quatro do Pelotão de Operações Especiais do 5° BPM, três do POE do 27° BPM e um do Comando Regional de Policiamento Ostensivo do Vale do Caí (CRPO-VC), e 200 da Força Nacional de Segurança Pública, que já atuam no estado desde agosto de 2016 – para potencializar o combate à criminalidade em Porto Alegre e Região Metropolitana. O planejamento das ações é baseado na análise criminal produzida pelo trabalho de inteligência. O foco é reduzir índices de crimes letais intencionais, roubo a pedestre, roubo a transporte público e roubo de veículos.

Deixe seu comentário