Recursos com venda de material reciclável ajudaram na compra da pracinha de brinquedos para as crianças. FOTOs: DIVULGAÇÃO/ESCOLA WALTER BELIAN

Comunidade escolar mais consciente, destino certo ao lixo e investimento em melhorias na escola são conquistas

A Escola Municipal Walter Belian começa a colher os frutos de uma ação que colabora com o meio ambiente, com a formação dos alunos e com a comunidade em geral. Os recursos arrecadados com a venda de material reciclável garantiram o pagamente de boa parte da “pracinha” para as crianças, além de brinquedos e jogos.

Através da gincana, já foram arrecadados 5,8 toneladas de material reciclável, reduzindo impacto ambiental. FOTOs: DIVULGAÇÃO/ESCOLA WALTER BELIAN

O recolhimento de material reciclável ocorre através de uma gincana que segue até o final do ano, com a participação de todos os alunos e a colaboração das famílias. De maio a junho, foram arrecadadas 5,8 toneladas de resíduos, que tiveram destino adequado. A venda do material garantiu o pagamento de aproximadamente 30% do investimento na pracinha, brinquedos e jogos para os alunos. O restante foi pago com verba do Círculo de Pais e Mestres (CPM)

A diretora da instituição, Deise Kochenborger, afirma que a compra do playground e dos demais artigos é um estímulo, uma forma de dar um retorno ao esforço realizado pela comunidade escolar, que colabora com o sucesso da gincana. A participação das famílias vai além de guardar o lixo para levar à escola. “Não é só guardar, é preciso limpar as caixinhas de leite, as embalagens, separar”, acrescenta a diretora. Essas medidas conferem mais valor ao material. A aquisição da “pracinha” e dos brinquedos é uma forma de mostrar um resultado concreto da gincana.

Deise recorda que a gincana iniciou em 2017, com adesão tímida das famílias, mas que avançou neste ano. “Demora um pouco para as famílias criarem um hábito”, resume. A diretora salienta que o ganho é de toda a comunidade, pois esse lixo, que seguiu o caminho correto da reciclagem, poderia estar na rua. A diretora destaca ainda que o ganho maior não é o financeiro, mas na formação dos alunos, que estão mais conscientes da maneira adequada de descartar resíduos e da necessidade de preservar o meio ambiente.

“A minha geração é a do plástico, das comidas prontas, em embalagens que facilitam. Não tivemos a educação de cuidar desse lixo”, analisa Deise. “A geração que estamos formando é mais consciente, pode ensinar a geração anterior que é preciso cuidar do meio ambiente”, completa. Desta forma, os alunos se tornam multiplicadores da ação, levando para familiares e vizinhos o que aprenderam na escola. Deise reforça que essa consciência é o maior ganho da gincana.

Deixe seu comentário