Mudanças na Unisc de Montenegro têm o intuito de melhor formar um profissional, cidadão e pessoa

A Unisc apresentou nos últimos dias, o seu projeto de reinvenção pedagógica, que prevê novas arquiteturas curriculares, competências, conteúdos e valor mais acessível. Os estudantes terão vivências de aprendizagem em cenários reais e simulados desde o primeiro mês de aula.

A reinvenção pedagógica envolve a estruturação física, arquitetura curricular dos cursos, conteúdos e metodologias, ou seja, explora como abordar determinados objetivos e competências com os estudantes. O foco principal é a aprendizagem do estudante, para que ele construa o conhecimento continuamente.

Para atender à proposta da reinvenção, os professores passam por um intenso processo de formação e de preparação, incluindo cursos de especialização, oficinas de desenvolvimento e de vivências metodológicas, assim como a discussão de alternativas de formação viáveis aos propósitos do processo.

Durante entrevista coletiva, a reitora, Carmen Lúcia de Lima Helfer, e o vice-reitor, Rafael Frederico Henn, afirmaram que a reinvenção pedagógica da instituição traz flexibilidade na trajetória acadêmica. “O DNA empreendedor incentiva a autonomia do estudante com conexão ao mercado de trabalho para potencializar sua formação superior e traduz conteúdos em práticas e módulos interdisciplinares em experiências de aprendizagem completas, conectando universidade, comunidade e empresas”, disse Carmen.
Com base nisso, a Unisc busca se reconfigurar por meio da reinvenção. A estratégia de identificar “nichos” de atuação, tão comum no mundo dos negócios, agora se torna importante no setor da educação.

Caroline Kothe, integrante da Unisc Montenegro, explica que assim como na graduação, nos cursos de pós-graduação, em que a autonomia dos estudantes é maior e a tecnologia interativa pode ser uma grande aliada, onde as parcerias interinstitucionais poderão conduzir os cursos para uma abrangência nacional e internacional.

“Haverá também novas metodologias para as aulas na modalidade a distância, de forma que sejam mais dinâmicas, interativas e criativas. Será um novo conceito de educação a distância, possibilitando que o estudante tenha maior convivência com seus professores, colegas, laboratórios e biblioteca da Universidade”, ressalta.

A proposta é formar a pessoa, o cidadão e o profissional. “Um sujeito que compreende e intervém na realidade, com a atitude de querer fazer a diferença, comprometido com a qualidade do relacionamento com os outros seres humanos e com o desenvolvimento de novos conhecimentos e atitudes, produzindo ações que possam impactar positivamente no futuro do planeta”, finaliza Carol.

Deixe seu comentário