O DIRETOR da Fundarte, André Luís Wagner, recebe a distinção das mãos do dirigente do Sinpro, Marcos Fuhr. FOTO IGOR SPEROTTO

Troféu Pena Libertária foi entregue na noite de sexta-feira, em Porto Alegre, para os vencedores em três categorias

A Fundação Municipal de Artes de Montenegro (Fundarte) recebeu o prêmio Educação/RS 2018, na noite de sexta-feira, 19, na categoria instituição. A Pena Libertária foi entregue em cerimônia realizada na sala de eventos da sede estadual do Sindicato dos Professores do Ensino Privado (Simpro/RS), em Porto Alegre, na presença de lideranças do segmento.

Visando estimular e valorizar profissionais, instituições e projetos comprometidos com o ensino da qualidade e com a construção da cidadania, o prêmio foi criado pelo Simpro/RS em 1998, e chega à 21ª edição. Para o diretor executivo da Fundarte, André Luís Wagner, a premiação representa o reconhecimento do trabalho da instituição, que completou 45 anos neste ano. Ele salienta ainda a importância da conquista de um prêmio na área da educação, o que vai ao encontro da finalidade da fundação, que é “educar através da arte”.

Houve premiação também nas categorias projeto e profissionais. Os finalistas foram avaliados pela comissão julgadora da premiação e também através de votação on-line dos mais de 20 mil professores associados ao Sinpro/RS. Para definição, foram considerados critérios como o compromisso com a educação de qualidade, o desenvolvimento da cidadania e o acesso ao conhecimento. Desde a primeira edição, já foram laureados 21 profissionais, 24 projetos e 21 instituições, além de menções honrosas em ocasiões especiais.

Premiados este ano
Instituição: Fundação Municipal de Artes de Montenegro – instituição que atua intensamente na comunidade de Montenegro, oportunizando o acesso à arte e à cultura para crianças, jovens e adultos a custo reduzido ou gratuitamente.

Projeto: Alimentação Saudável através da Sustentabilidade – projeto Horta na Escola busca suprir as necessidades na merenda escolar, com verduras, legumes, ervas medicinais e aromáticas nas escolas municipais de Esperança do Sul, na fronteira gaúcha com a Argentina.

Profissional: Dulce Maria Simon Ruschel – natural de Alto Feliz, no Vale do Caí, professora aposentada continua fazendo trabalho voluntário e publica, aos 86 anos, um livro sobre a história do município.

Deixe seu comentário