Comunidade montenegrina prestigiou a exposição dos projetos escolares ontem. Evento segue nesta sexta-feira e encerra no sábado ao meio dia

FeRural e FeUrbana. Instituições apresentam trabalhos realizados durante o ano pelos alunos da rede municipal

Começou na tarde de ontem a 22ª edição da FeRural e 4ª edição da FeUrbana. Os eventos, que ocorrem em conjunto, são realizados pela Secretaria Municipal de Educação e Cultura (Smec) para a mostra dos trabalhos realizados pelas escolas municipais. Com o intuito de dar visão à cidade e valorizar o território educativo, cada instituição definiu uma grande temática no início do ano, que culminaram em diversas atividades realizadas com os alunos. A FeRural e a FeUrbana representam a finalização destes projetos, com a apresentação deles.

Em 2017, as feiras ocorrem na localidade de Costa da Serra, no pavilhão da comunidade católica. Aberto à comunidade, ontem os participantes, além da visitação, puderam prestigiar a apresentação da Banda Escolar da EMEF Pedro João Muller e, também, um teatro de bonecos com a história “Com Água Não se Brinca”. Brinquedos infláveis também são disponibilizados para alegrar a criançada.

Todos os trabalhos nos estandes são apresentados por professores ou diretores de cada escola. 28 educandários participam, dentre as do meio rural e do meio urbano. “As escolas são as grandes protagonistas desse evento. É a cara da escola que está exposta”, frisou a secretária municipal de Educação e Cultura, Rita Carneiro Fleck, em seu discurso de abertura. Prestigiando o evento, o prefeito Carlos Eduardo Müller também falou sobre a importância dos projetos e dos profissionais das instituições na formação dos alunos. “Temos que seguir mantendo acesa essa chama de motivação, para que quem venha junto com nós, crie essa mesma motivação e essa mesma vontade”, declarou.

Comumente realizado no Parque Centenário pelas outras edições, a atual realização foi levada para o interior do município como forma de reforçar um dos objetivos principais da união das duas feiras: a troca de experiências e conhecimentos entre as escolas do meio rural e as do meio urbano. “É um desafio trazer as pessoas pra cá, mas isso é só para engrandecer o evento, que não é só urbano ou rural. Ele é urbano e rural”, afirmou a secretária. Mais antiga, a FeRural já trazia o mesmo intuito atual e, com a integração com a FeUrbana, pôde-se fomentar essa troca de realidades. Para isso, todos os projetos atuais foram apresentados internamente no fórum de educação do município, que ocorreu em junho.

Representaram a EMEF Ana Beatriz Lemos, do bairro Estação, a vice-diretora Patrícia Teixeira Fernandes e a diretora Elis Julia Floss. A temática escolhida pela instituição foram os valores humanos. “No dia-a-dia, a gente percebia algumas dificuldades de relacionamento deles. Então, o projeto foi para envolver essa ideia de respeito, alegria e cooperação”, explicou Elis. Nessa busca, a instituição estabeleceu a formação de uma roda, em toda manhã, para um trabalho de relaxamento e descanso mental. Atividades como um Jogo de Valores, também foram realizadas, procurando integrar as famílias e a comunidade com a escola.
Da localidade de Alfama, a EMEF Dona Clara Camarão foi representada pela diretora Graziela Kranz Kniest. O projeto da instituição partiu da constatação de que, no ambiente em que estavam, existiam poucas borboletas. A partir daí, a temática se desenvolveu com atividades como a plantação de flores, a pintura da pracinha para ficar colorida, a criação de um borboletário para acompanhar a metamorfose de uma larva e até trabalhos mais complexos, como a constatação de que, como nós humanos, as borboletas passam por uma série de mudanças e podem ser diferentes. “Todos somos diferentes, mas todos colorimos o jardim”, refletiu a diretora. Na feira, as crianças se encantavam com o borboletário, que estava exposto.
A EMEI Santo Antônio esteve representada pela professora Leticia Rosa, a vice-diretora Simone Meireles, a diretora Alini Motta Gonçalves e a professora Fabiana da Motta. Com os pequenos da instituição, o projeto se deu a partir do livro “As Lendas de Montenegro”, que culminou em um estudo sobre as contribuições dos povos que deram origem ao município. Foram feitas oficinas de danças típicas, com a participação dos pais, e a busca pelas origens dos alunos. Sempre relacionando com a infância, as turmas trabalharam com bonequinhos de pano para tratar dos povos africanos; brincadeiras, sobre os açorianos; e culinária, sobre os alemães, com a confecção de cucas

programação das feiras para hoje e amanhã
Hoje:
8h às 16h30min – Visitação
10h – Apresentação da Banda Escolar da EMEF Prof.ª Maria Josepha
15h – Apresentação da Banda Escolar da EMEF Walter Belian
Dia do Descarte Correto

Amanhã:
08h às 12h – Visitação
9h – City Tour – Rota turística
9h30min – Show de Talentos das Famílias
11h – Revoada do Aeroclube Montenegro
11h30min – Sorteio de um Tablet e de uma bicicleta
12h – Encerramento

Deixe seu comentário