OS TRABALHOS vencedores da Mostra, realizada na Serra, eram dos cursos técnicos em Química e Eletrotécnica. FOTO: DIVULGAÇÃO/GIÓRGIA MARASCA

Reconhecimento. No eixo Controle e Processos Industriais, alunos se destacaram nos primeiros lugares da Mostra

Três projetos da Escola Estadual Técnica São João Batista obtiveram os primeiros lugares na Mostra de Trabalhos das Escolas de Educação Profissional (MEP), na categoria Controle e Processos Industriais. Giórgia Marasca, professora pública e orientadora de dois dos trabalhos, diz que se sente gratificada e honrada, pois percebe que a classificação dos alunos demonstra o esforço e resultado de sua dedicação.

Sob organização da Superintendência da Educação Profissional do Estado (Suepro), a feira aconteceu na cidade de Caxias do Sul, nos dias 16, 17 e 18 de agosto. A Escola São João Batista levou ao evento quatro trabalhos, sendo dois do curso técnico em Eletrotécnica e dois em Química, nas modalidades integrado e subsequente.

PREMIADOS NOS 1º, 2º E 3º LUGARES
1º lugar: Bruno Metz dos Santos, Erick Dalla Giacomazza e Henrique de Castro Franco, com o trabalho “Sistema de Automatização de Transporte Coletivo Urbano – SATC”. A ideia dos estudantes é elaborar uma central de automatização que será instalada na parada de ônibus, junto de uma estrutura com mais acessibilidade às pessoas e deficientes físicos e incentivar o uso do transporte coletivo urbano no Brasil.

2º lugar: Emilly Dorneles, Gabriela Schlichting e Leonardo Borges, com o projeto “Sal vegetal – Desenvolvimento de uma Solução para o Aumento da Produção da Halófita (Sarcocornia ambígua) em Processo Hidropônico”. Consiste na preservação da planta Sarcocornia ambígua, que ocorre em costas marítimas em um sistema de hidroponia. Ela é naturalmente salgada e pode ser usada como um sal vegetal, substituindo o comum, pois apresenta menos cloreto de sódio (NaCl) e mais potássio (K), gerando mais benefícios à saúde.

3º lugar: Larissa da Silva de Souza e Paulo Matheus Alves da Silva, com o trabalho “Utilização da Salvinia auriculata para a redução de Chumbo II em águas contaminadas – Fase II”. Utiliza a planta Salvinia auriculata, conhecida como samambaia aquática ou orelhinha-de-onça, no tratamento alternativo de águas contaminadas com o metal pesado chumbo II, que preocupa a indústria por ser prejudicial à saúde humana e ao meio ambiente.

Deixe seu comentário