Desde 2019, nenhuma instituição oferecia turmas iniciais do EJA no Município . FOTO: arquivo Jornal Ibiá

Pré-inscrições já podem ser realizadasna instituição

Uma parceria entre a EEEF Delfina Dias Ferraz e a Secretaria Municipal da Educação e Cultura de Montenegro (Smec) irá possibilitar a retomada das turmas 1 e 2 da Educação de Jovens e Adultos (EJA). A pré-inscrição já pode ser feita na instituição presencialmente ou pelo telefone 3632-1124.
Em 2019 a Secretaria Estadual da Educação (Seduc) havia fechado as turmas iniciais que eram oferecidas na escola Delfina Dias Ferraz, deixando o município desassistido na alfabetização da modalidade de educação de Jovens e Adultos.

Agora, com a parceria, a escola irá disponibilizar a estrutura e a Smec os professores. As duas novas turmas são iniciais e trabalham com alunos que estão em processo de alfabetização. As demais turmas já oferecidas pela escola seguirão normalmente.

Inicialmente a escola Delfina Dias Ferraz está solicitando que os interessados em ingressar no ensino façam uma inscrição prévia na instituição. A medida é necessária para avaliar se de fato há uma demanda que justifique a abertura das novas turmas. Podem se inscrever alunos a partir dos 18 anos de idade.

Segundo a secretária municipal de Educação e Cultura, Ciglia da Silveira, a demanda surgiu da própria comunidade, que procurou a Smec para solicitar o retorno do atendimento educacional. “Caso a demanda se confirme, vamos fazer tratativas com a Coordenadoria de Educação para firmamos uma parceria”, destaca Ciglia.

Para a vice-diretora da escola Delfina Dias Ferraz, Janaira Andrade, a retomada das turmas é uma oportunidade para quem não pode frequentar a escola durante a infância. “Quem nunca teve a oportunidade de aprender porque tinham que trabalhar para ajudar os pais na infância, esses alunos que nunca tiveram oportunidade, com o EJA eles tem”, afirma Janaira.

Além disso, a vice-diretora destaca que a reabertura das turmas T1 e T2 irá possibilitar que alunos que estavam cursando o EJA quando as turmas foram fechadas voltem a frequentar a escola.
Dona Beni Maria Rodrigues do Nascimento, de 59 anos, era aluna de uma das turmas do EJA fechadas pelo Estado em 2019. Ela conta que a volta da oferta das turmas iniciais é a chance de voltar a sala de aula e concluir seus estudos. “Foi uma pena ter parado, mas agora pretendo voltar, apesar da pandemia – a gente pode se proteger, usar máscara – eu acho que se a gente se esforçar a gente da um jeito”, destaca.

Dona Beni parou de estudar ainda na 1º série e não chegou a aprender e ler e a escrever. Ela conta que deixou de estudar após o falecimento do pai. “Não aprendi a ler e a escrever porque meu pai morreu e eu tinha que cuidar dos meus irmãos”, relata.

Um dos motivos de Dona Beni querer voltar para a escola é para ter mais oportunidades de empregos. Trabalhando como faxineira, ela conta que muitas vezes não conseguiu a vaga por conta dos estudos. “Quero aprender porque em alguns lugares para pegar para trabalhar tem que saber ler e eu não sei”, relata.

Aos 59 anos, Dona Beni não considera a idade um empecilho. “Já estou velhinha, mas não vou perder a esperança de aprender a ler e escrever, se Deus quiser eu quero aprender”, afirma.

Deixe seu comentário