Na rede Municipal, atividades pedagógicas complementares estão sendo enviadas aos alunos. Foto: Divulgação/Prefeitura de Montenegro – Acom
Educadores planejam de suas casas e alunos realizam das suas, evitando o contágio do novo coronavírus. Foto: Divulgação/Prefeitura de Montenegro – Acom

Com a suspensão das aulas gradativamente desde o dia 19 de março, novas formas de continuar em contato com conteúdos foram revistas pela rede Municipal e estadual de ensino. As aulas seguem suspensas até pelo menos 30 de abril, de acordo com o Decreto 55.154, e segundo fala do governador Eduardo Leite, a retomada das atividades escolares pode ser adiada. Enquanto isso, os estudantes recebem atividades dos professores através de redes sociais como Facebook e Whatsapp e sites.

Apesar de não desenvolver a doença com maior gravidade, jovens e crianças são considerados transmissores do novo coronavírus (Covid-19). Para cuidar da saúde dos alunos e seus familiares, a rede estadual de ensino implementou a metodologia das aulas programadas, envolvendo diversos recursos pedagógicos e tecnológicos, os quais as escolas dispõem.

Os exercícios desenvolvidos por meio das aulas programadas estão disponibilizados para que todos tenham acesso, seja por mensagens de WhatsApp ou Facebook, compartilhamento de arquivos de áudio e vídeo por e-mail, por salas virtuais, ou até mesmo pela entrega de materiais didáticos nas áreas rurais do Estado.

Segundo a diretora geral do 5º Núcleo do Cpers, Juliana Kussler, a princípio as escolas da rede estadual enviam conteúdos programados para os alunos por WhatsApp, e-mail etc, e é muito remota a possibilidade de cancelamento do ano letivo. Sobre os alunos que não tem acesso à internet, ela comenta que será ofertado de outra forma quando as escolas reabrirem.

Embora estejam em casa, os professores continuam trabalhando na elaboração de atividades e conteúdos, e Juliana relata que não há chances do salário desses profissionais serem cortados. “O governo não tem como seguir com as aulas programadas sem os professores planejando, encaminhando e orientando os alunos”, diz.

Rede Municipal envia frequentemente atividades pedagógicas complementares
Na rede Municipal de ensino de Montenegro, enquanto as aulas estão suspensas, o ensino está ocorrendo remotamente com entrega de atividades através de redes sociais, mídias de comunicação e sites. “Enquanto Rede Municipal de Ensino, acreditamos que, mesmo neste momento de isolamento/distanciamento social, o processo de construção da aprendizagem não pode parar e os alunos não podem perder o vínculo com a escola e nem mesmo devem deixar de realizar sua rotina de estudos”, declara a secretária de Educação, Rita Carneiro Fleck.

Aos que não têm acesso à internet, as equipes diretivas das escolas estão fazendo plantões em dias e horários específicos para entrega da cópia física dos materiais disponibilizados pelos educadores, entre outras estratégias. Segundo a secretária, o retorno das atividades também está se dando da mesma forma, ou seja, para acompanhar a realização das tarefas os alunos enviam imagens ou vídeos via redes sociais ou em cópias físicas, entregues nos dias dos plantões nas escolas.

Acostumados à sala de aula, classe e quadro, além de troca mútua, esse momento está mudando o conceito de todos sobre o processo de ensino/aprendizagem. Para Daniela de Vargas, professora de turmas do 2° ano na Escola Henrique Pedro Zimmermann e 3° ano na Escola Pedro João Muller, as atividades à distância estão sendo uma nova experiência, um desafio. “Como é uma situação diferente pra todos, é um momento de se reinventar, de tentar coisas diferentes do que se estava habituado.

Acredito que todos estão fazendo o melhor que podem, tanto professores como as crianças com as suas famílias, pra dar conta desse momento e não parar a aprendizagem dos alunos”, comenta Daniela. A professora relata sentir muita falta do ambiente escolar, e do trabalho presencial, mas acredita que seja o melhor a ser feito.

Sobre o retorno dos alunos, Daniela não tem do que reclamar. “Estão bem envolvidos com as atividades, as famílias estão se mostrando bem preocupadas em ajudar as crianças na realização das atividades à distância. É um momento especial pra todos. A parceria entre a escola e a família já é algo indispensável para o desenvolvimento do aluno e agora o precisamos mais ainda disso”, conclui.

Apoiados na Base Nacional Curricular – BNCC que tem como concepção de construção de conhecimento o desenvolvimento de habilidades e competências, as atividades não estão centradas no desenvolvimento de conteúdo, mas sim de habilidades e competências presentes no Documento Orientador do Currículo para o Território de Montenegro – DOCTM. “A proposta é revisar conceitos, propiciar uma reflexão sobre o momento de isolamento vivido e reforçar aspectos de prevenção sobre o coronavírus”, fala a secretária Rita. Assim como os professores da rede estadual, os da rede municipal não terão nenhum prejuízo, conforme assegura o Decreto Municipal nº 8.026/2020, de 23 de março de 2020.

Deixe seu comentário