Corsan está consertando rede de água na rua Torbjorn Weibull nesta manhã. Foto ilustrativa

O reajuste anual das tarifas de água e esgoto da Corsan costuma ocorrer em julho, mas, em decorrência da pandemia, foi adiado em 90 dias. Essa é uma ação exclusivamente das agências reguladoras, que definiu o dia 1º de outubro com início do aumento. Pela Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do Rio Grande do Sul (Agergs), a qual estão conveniados os municípios de Barão; Capela de Santana; Feliz; Montenegro; Salvador do Sul; São Pedro da Serra; São Sebastião do Caí; Triunfo, o índice foi firmado em 5,93%.

A Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento do Rio Grande do Sul (Agesan), que regula 15 municípios no Vale do Sinos incluindo Portão, aplicará 4,63% de reajuste. A grande maioria das pequenas cidades do Vale, como, por exemplo, Maratá e Bom Princípio, possuem gestão da água feita por associações, especialmente na Zona Rural, ou pela Prefeitura, e não são afetadas por este aumento.

Os aumentos da Corsan são calculados com base em cesta de índices para o setor de saneamento e incidirão sobre a totalidade dos serviços prestados. A tabela tarifária e a de serviços indiretos estão disponíveis para consulta no site (corsan.com.br) e nos escritórios locais da Companhia. A correção incidirá sobre as faturas emitidas a partir de 1º de outubro.

Ações na pandemia
Desde março a Corsan isentou a tarifa social aos clientes de baixa renda e manteve suspensos os cortes de fornecimento de água por não pagamento da conta. Tais ações garantem, por seis meses consecutivos, uma série de benefícios que visam apoiar os clientes da Corsan no combate aos efeitos financeiros causados pela pandemia. Além disso, a companhia iniciou nesta terça-feira (1/9) um programa de renegociação de dívidas antigas que terá validade nos próximos 90 dias.

Deixe seu comentário