FOTO: REPRODUÇÃO/INTERNET

Com disciplina e organização, dá para buscar mais equilíbrio no orçamento

O dia do pagamento é um dos melhores dias do mês. Inegável. Mas se você é desses que recebe, paga as contas e “puff”, já está sem dinheiro de novo, é evidente que há alguma coisa de errado com as suas finanças. Fazer o salário render o mês inteiro é possível, mas demanda algum esforço e uma importante parcela de organização. Especialmente no momento atual, é preciso achar onde é que seu dinheiro acaba sendo corroído; e repensar algumas atitudes. Veja algumas dicas:

DIVIDA A APLICAÇÃO DO DINHEIRO EM TRÊS CATEGORIAS
Gastos básicos – aqueles que você não pode deixar de pagar: aluguel, água, luz, telefone, alimentação, internet. Eles vão te dar uma ideia de seu custo de vida fixo, mostrando o mínimo necessário para você passar o mês sem nenhum aperto. Colocando essas obrigações na ponta do lápis, já dá pra ver no que se está gastando demais e no que pode ser reduzido. De repente, da pra poupar água, poupar luz, gastar menos no mercado, e ter um padrão de vida similar.

Reserva – Você precisa tirar parte do seu salário e poupar. Não é fácil, talvez exija algum sacrifício, mas uma pequena reserva precisa ir sendo formada mês a mês. Mantendo uma frequência nessa separação, você vai ter um dinheiro guardado para emergências das quais, sabemos bem, ninguém está livre. Vai te ajudar a dormir mais tranquilo.

Gastos “desnecessários” – Pagou o básico? Reservou um pouco do dinheiro? Agora sim você pode pensar nos gastos supérfluos. Nem sempre será possível, mas você poderá gastar com aquele “agradinho” para você mesmo sem peso na consciência e sabendo que suas obrigações foram cumpridas. Nada de gastar o que você não tem!

REPENSE OS “GASTOS INVISÍVEIS”
Ao colocar suas contas na ponta do lápis, é provável que vá ficar mais claro onde que seu dinheiro está indo todo mês. Os chamados “gastos invisíveis” são grandes vilões na hora de manter o planejamento financeiro da casa. Quer exemplos? Desperdício de comida; luz acesa quando ninguém está no cômodo, pacotes de telefonia que não são usados na totalidade dos recursos pagos, TV por assinatura em que não são assistidos nem metade dos canais, valores gastos com delivery ou compras desnecessárias feitas só para “aproveitar” promoções. Você não percebe, mas está gastando desnecessariamente.

FUJA DAS DÍVIDAS
Carnês e cartões de crédito podem virar armadilhas das grandes. Priorize as compras a vista e, quando fazê-las, negocie descontos. Se não for possível, antes de fazer um novo parcelamento, dê uma boa olhada nas parcelas de compras anteriores que você ainda têm a pagar. Não assuma uma nova conta levianamente, porque é assim que começam as bolas de neve de dívidas. Lembre que você precisará ter, todo santo o mês, o valor para quitar aquela parcela.

NÃO ESQUEÇA DO AMANHÃ
O IPTU vai chegar. IPVA vai chegar, Natal já está aí, logo vem o dia de comprar o material escolar. Tem muita conta, durante o ano, já com data, nome e endereço certos; e isso também precisa ser previsto e considerado ao organizar o orçamento e contrair mais dívidas. Ao organizar seus gastos, já preveja essas despesas anuais fixas para, com muita disciplina, garantir que seu dinheiro renda de forma responsável.

Deixe seu comentário