Desconto oferecido a famílias carentes faz diferença. FOTO: ARQUIVO/JORNAL IBIÁ

Concessionária de energia, RGE está alertando clientes que têm direito e não fazem uso do benefício

A chamada Tarifa Social é um benefício governamental a famílias de baixa renda que pagam menos pelo consumo de energia elétrica. Os descontos são aplicados de forma cumulativa para faixas de consumo que vão de 0 kWh a 220 kWh. O desconto é de 65% para os primeiros 30 kWh consumidos no mês; 40% para o consumo entre 31 e 100 kWh; e 10% para o consumo entre 101 e 220 kWh. Mas muita gente tem direito a isso e nem está sabendo.

A Tarifa atende os consumidores cuja renda mensal per capita da residência não exceda meio salário mínimo. Eles têm que estar inscritos no Bolsa Família, no Benefício de Prestação Continuada E/OU no Cadastro Único dos programas sociais do governo federal.

Para além do pré-requisito do salário, têm direito as famílias que ganham até três salários mínimos, mas que estejam inscritas no Cadastro Único com portador de doença ou patologia cujo tratamento ou procedimento médico requeira o uso continuado de aparelhos, equipamentos ou instrumentos que, para o seu funcionamento, demandem consumo de energia elétrica. Também são beneficiárias as famílias de índios e quilombolas inscritas nos programas sociais do governo.

Aqui em Montenegro, 1.549 clientes estão cadastrados para receber os descontos. E segundo a concessionária de energia RGE, outras 1.155 se enquadram nos critérios do benefício, mas não fazem uso dele. Em toda a Região Metropolitana de Porto Alegre, são mais de 36 mil clientes nessa situação que, por alguma razão, não buscaram aderir à Tarifa Social, cujos descontos fazem a diferença, especialmente diante das recentes dificuldades impostas pela pandemia. É nessa linha que a empresa de energia vem investindo na orientação desde o ano passado para trazer mais pessoas à Tarifa Social. A ação já resultou no benefício para 16.170 novos clientes pela região.

“Esses dados nos mostraram que a medida pode contribuir para amenizar ainda mais os impactos da pandemia para um número muito além das atuais 186,4 mil famílias inscritas na Tarifa Social na área de concessão da RGE”, reforça Rafael Lazzaretti, diretor Comercial do Grupo CPFL, dono da RGE. Por aqui, nos municípios vizinhos, 54 clientes em Brochier; 32 em Maratá; 58 em Pareci Novo; e 13 em São José do Sul também têm direito ao benefício e não estão inscritos. Os números da concessionária foram obtidos através do cruzamento de dados internos com o Cadastro Único.

Quem tem direito, pode se cadastrar para receber os descontos por meio dos canais digitais da RGE, pelo site http://www.rge-rs.com.br/baixarenda ou pelo aplicativo “CPFL Energia”. Basta informar os documentos e comprovantes solicitados. Caso a pessoa com o benefício da Tarifa Social não seja o titular da instalação, é importante que ela faça o pedido sempre identificando o código do cliente, presente na conta de energia, do local onde mora, para que o benefício seja concedido de forma adequada.

Deixe seu comentário