Aulas foram conduzidas no período noturno e duraram cerca de três horas cada. FOTO: DIVULGAÇÃO

Dois, dos quatro participantes da edição atual, ainda sairão empregados na empresa

Muita gente reclama – e com uma boa dose de razão – de quando os anúncios de vaga de emprego pedem experiência do candidato sem dar oportunidade a quem está começando. Mas uma empresa de Montenegro está indo no caminho contrário desse movimento. Precisando reforçar seu quadro de funcionários, ao longo do mês de setembro a Barbearia 1989 fez diferente e foi atrás de pessoas sem experiência alguma na área.

Focada em encontrar quem estivesse atrás de uma chance, selecionou quatro jovens para treinar, totalmente do zero, no ramo de beleza masculina. Eles estarão aptos para trabalhar onde quiserem; e dois deles ainda vão ser selecionados e empregados na própria barbearia. “Seria até mais cômodo lançar um curso e cobrar por ele, já que um curso de barbeiro está girando em torno de 3 mil reais” aponta o proprietário, Samuel Costa. “Mas aí nós não estaríamos dando oportunidade para quem realmente precisa.”

O empresário conta que a possibilidade de formar o profissional do zero, dentro da própria empresa, também foi alternativa para já contratar uma pessoa que realmente vestisse a camisa da barbearia. “Treinado aqui, ele já vai ser alguém com uma conexão conosco”, coloca. Batizado de “Sementes 1989”, o projeto teve como primeiro passo a busca de patrocínio junto de empresas e de entidades da região. Treze abraçaram a ideia e estão custeando todos os utensílios necessários para a atividade; que já são do participante, mesmo depois do curso.

Dali, o período de inscrições foi divulgado através das redes sociais e por meio de entidades com atuação em comunidades mais carentes do Município. Oito jovens fizeram a inscrição e foram entrevistados pela equipe da barbearia. Quatro foram selecionados para o curso. “Eu estava trabalhando como Menor Aprendiz na JBS, mas eu decidi fazer o curso porque eu sonho há muito tempo em poder trabalhar na área de barbearia”, conta Hudson de Sá e Silva, de 18 anos de idade, um dos escolhidos.

O curso, nas últimas semanas, vem ocorrendo após o fechamento da 1989, à noite. “Tivemos uma aula teórica, com demonstrativo, e depois foi só prática. Estamos ensinando até algumas técnicas mais apuradas, técnicas de finalização e coisas do dia a dia”, explica Samuel. É ele quem conduz o treinamento com o apoio dos demais funcionários da empresa; e são os amigos e conhecidos dos participantes que servem de “cobaia” dos alunos durante as aulas.

Todos os jovens, com idade entre 18 e 22 anos, sairão devidamente certificados e profissionalizados; e a escolha dos dois que serão contratados será resultado de um teste feito em comunidade da cidade em parceria com a Cufa. Nesta quarta-feira, dia 30, já será anunciada a escolha e feita uma pequena cerimônia de colação de grau.

Deixe seu comentário