Petrobras ainda não se posicionou oficialmente sobre o problema que afeta o RS. FOTO: REPRODUÇÃO/INTERNET

Em Montenegro, produto tem chegado abaixo do encomendado pelos estabelecimentos

Está faltando diesel no Rio Grande do Sul. Nota divulgada pelo Sulpetro – o sindicato dos postos de combustíveis – aponta dificuldades no recebimento do produto que deveria vir da Refinaria Alberto Pasqualini (Refap), em Canoas. Muitos estabelecimentos têm recebido apenas uma quota mínima nos últimos dias e há relatos de municípios como Novo Hamburgo, Canoas e Passo Fundo onde o diesel acabou no posto e não houve estoque para repor.

A reportagem apurou que ainda não há falta do combustível em Montenegro, mas os empresários do ramo admitem que há dificuldade em abastecer as bombas. “Está havendo cortes na entrega”, revela o gerente do Posto Fatur, Fábio Hermes. “A gente faz o pedido de uma grande quantidade e é cortada parte da encomenda.” Ele avalia, no entanto, que não há risco de desabastecimento total do produto.

De bandeira branca – categoria que não vende apenas uma marca, como a Ipiranga, o Shell e afins -, o Posto Polo Sul está tendo que comprar o diesel de diferentes companhias, paralelamente, para manter a oferta. “Nós temos passado bastante dificuldade”, lamenta o gerente, Telmo Cruz. “E como é sempre venda casada, eles (os fornecedores) estão nos forçando a também pegar gasolina para conseguir o diesel.”

A Petrobras ainda não se posicionou oficialmente sobre o que vem ocorrendo com o produto. No início do mês, o abastecimento no Rio Grande do Sul chegou a ser prejudicado pelas condições do mar em Tramandaí, que estava causando restrição na chegada e na ida do item para a Refap, com a consequente dificuldade na distribuição para os postos gaúchos. O problema da ocasião foi dado como resolvido pela estatal.

Gasolina ainda mais cara
Falando em combustíveis, o governo gaúcho anunciou nova alta no preço usado para o cálculo do ICMS na gasolina. A partir do dia 16, a média para cálculo do imposto vai aumentar R$ 0,17, o que deve impactar no preço do produto nos postos. Aliado a isso, desde o dia 5, o combustível teve outra alta nas refinarias sendo promovida pela Petrobrás. Por lá, ficou R$ 0,10 mais caro, impacto que já é sentido no bolso dos motoristas.

Deixe seu comentário