O novo ano chegou! É hora de revisar os planos e se organizar para colocá-los em prática. Matricular-se na academia, melhorar a alimentação ou fazer a viagem dos sonhos. Não importa qual a meta, mas o que será feito para alcançá-la e ter 12 meses tranquilos, sem sobressaltos.

Em entrevista ao Jornal Ibiá, entre outros temas, a economista Cidonea Machado Deponti trouxe algumas dicas para quem quer começar 2019 com as contas em ordem. Entre outras medidas, ela sugere que as aquisições, independente do tipo, estejam sempre condicionadas à possibilidade concreta de pagamento.

Antes de comprar, questione-se
De acordo com a especialista, o consumidor deve se questionar antes de qualquer compra:
– Eu realmente preciso desse produto?
– Estou comprando por que necessito, por que está em liquidação ou por que estou cedendo à propaganda sedutora?
– Qual produto atende perfeitamente à minha necessidade?
– O que ele vai trazer de benefício para a minha vida?
– De quanto eu disponho efetivamente para gastar?
– Quais as condições que tenho para pagá-lo (comprar à vista, comprar a prazo e pagar juros)?

Como fazer um planejamento de sucesso
Sim. É necessário pensamento estratégico para alcançar os objetivos. E um bom planejamento é a chave do sucesso.
– Faça anotações
Ao anotar, com prazos e plano de ação descrito, fica mais fácil identificar erros e oportunidades. É indicado ainda que a lista fique disponível em locais de visualização frequente.
Deixe seus objetivos bem definidos
É preciso saber exatamente o que se quer conquistar para não se perder no caminho. Os objetivos devem ser claros.
Não seja ansioso
Prazos e datas são importantes. Ser ansioso e burlar as etapas do planejamento estratégico pode não ser uma boa alternativa. Saiba que algumas coisas requerem tempo. E que respeitá-lo é fundamental.
Trace metas para um futuro próximo
Planeje sempre dentro de um futuro próximo para a possibilidade de resultados palpáveis.

Dicas para evitar o endividamento
– Faça o seu orçamento mensal. Registre as despesas e custos fixos e compare com as suas receitas, verificando se tem condições para assumir um novo encargo no mês. As receitas deverão ser maiores que as despesas. Este exercício pode mesmo ajudar o consumidor a ajustar os seus consumos e a gerir melhor os seus gastos. A melhor forma de evitar dívidas e gastos excessivos é planejar o orçamento doméstico.
– Embora o orçamento varie de família para família, as despesas com habitação não devem comprometer mais do que 35% do orçamento. E nas despesas da casa incluem-se: o empréstimo, juros e seguro, despesas como água, luz, gás, telefone, internet, etc. As despesas com transportes devem pesar, no máximo, 15%, incluindo prestação do carro, combustível, reparações, estacionamento, transportes públicos, etc. A alimentação deve pesar 25% no orçamento e inclui despesas com roupa, entretenimento, etc. Demais despesas devem levar 15% do orçamento. O indicado é que se reserve 10% da renda mensal para alguma emergência.
– Pague todas as contas à vista, assim você não fica devendo e ainda não paga juros.
– Não se deixe levar pelas propagandas de crédito fácil, isso elas são apenas ilusão. Você terá que pagar pelo produto de qualquer jeito e ainda acrescido de juros.
– Cuidado com o seu cartão de crédito e cheque especial, esses podem ser grandes vilões para se colocar em um grande endividamento. Nunca pague apenas os valores mínimos.
– Ponha um limite em suas compras. Não adianta você comprar para pagar só no próximo mês, pois certamente no próximo mês você terá mais contas para pagar. Então não comprometa valores maiores do que aqueles que você recebe.
– Corte gastos que não sejam realmente necessários e faça essa avaliação com frequência, várias vezes ao ano.
– Caso constate que realmente necessita de um determinado produto, aproveite as liquidações, pechinche e faça comparação de preço antes de fechar o negócio.
– Faça uma poupança para atender a alguma emergência.

Deixe seu comentário