Cristian Soares é analista de negócios júnior, função que lhe permite trabalhar em home-office. Foto: Arquivo pessoal Cristian

Com menos Vagas disponíveis, é importante se preparar para o mercado

Há muita gente desempregada. Por outro lado, existem vagas disponíveis no mercado. Muitas vezes falta qualificação profissional. Arnaldo Klein Pegoraro, coordenador do Sine/FGTAS Montenegro, faz um balanço. “A recolocação é mais fácil que o primeiro emprego. No início do mês de 42 vagas abertas, por exemplo, 32 empresas pediam experiência”, afirma. Este exemplo corresponde a 76,19% de vagas que pedem experiência aos candidatos. “Existem vagas específicas que exigem curso, além de experiência”, completa. Frequentemente, entre os candidatos selecionados, nem todos comparecem às entrevistas. O coordenador da unidade orienta que é importante que o candidato conclua pelo menos o Ensino Médio.

O currículo e a entrevista também são importantes. Telma Esmerio, administradora na Acerte Assessoria Empresarial, dá algumas dicas. “É importante estar bem focado na entrevista, respondendo com muita atenção o que lhe for questionado. Quando souber para qual empresa é a vaga disponível, pesquisar, com intuito de saber informações relevantes para a vaga”. Para criar um bm currículo, ela orienta informar a formação correta, bem como o curso e a instituição de estudo também é importante. Explica que as experiências profissionais, qualificações e datas devem ser apontadas de forma sucinta e clara. Aponta que a foto deve ser atualizada e digitalizada.

Juliano Saldanha foi recolocado profissionalmente, agora como gestor de qualidade no ramo da construção civil. Foto: arquivo pessoal de Juliano Saldanha

Em meio à crise econômica, Juliano Saldanha, conta que recebeu uma proposta na sua área de graduação. “Eu trabalhava em uma empresa de refrigeração industrial em São Sebastião do Caí. Estou concluindo a graduação em Engenharia Civil. A Telma entrou em contato comigo via LinkedIn, perguntando se eu teria interesse na vaga por ser da minha área de estudo, então enviei meu currículo pra a Acerte, participei da seleção e fui contratado.” Já Cristian Soares também teve uma nova oportunidade de emprego, foi contratado por empresa multinacional instalada em Montenegro. “Trabalho em home office desde minha contratação, sou analista de negócios júnior”, comenta. Ele cursa atualmente o penúltimo semestre da graduação em Análise e Desenvolvimento de Sistemas.

Por vezes, um estágio durante o curso é o que se precisa para abrir portas. Douglas Eduardo Aprato Silva, Supervisor Executivo do Centro de Integração Empresa Escola (Ciee) de São Leopoldo, passa algumas orientações. “No caso do candidato estar buscando sua primeira experiência, mencionar no currículo e nas entrevistas a serem realizadas, os trabalhos acadêmicos e voluntários já realizados”.

Luiza dos Santos Machado teve uma
recolocação profissional encaminhada pelo Ciee. Foto: arquivo pessoal Luiza

Ele informa que tanto o Programa de Estágio quanto o Programa de Aprendizagem desenvolvidos pelo Ciee-RS visam a inserção dos jovens ao mercado do trabalho. Para fazer o cadastro e se candidatar às vagas, basta o candidato acessar o site www.cieers.org.br ou ligar para os telefones (51) 3632-4188 ou (51) 3632-4906. Foi o que fez Luiza dos Santos Machado tem 22 anos, encaminhada pelo Ciee para seu primeiro estágio e, recentemente, recolocada em outra oportunidade no mesmo programa.

“Vejo por pessoas que eu conheço que no momento não têm acesso a estudar por motivos financeiros ou estruturais que estão à procura de um emprego e não conseguem. Por mais que o meu seja um estágio, acredito que o fato de eu estar estudando tem forte ligação com a possibilidade profissional que me surgiu”, aponta. Ela cursa hoje o 5º semestre do curso de Administração.

Deixe seu comentário