A planta de Montenegro emprega cerca de 1 mil funcionários diretos, produzindo todos os modelos da marca. FOTO: JOHN DEERE/DIVULGAÇÃO

TENSÃO. Multinacional demitiu grande lote de funcionários na fábrica de Horizontina

A demissão de 150 funcionários na fábrica de Horizontina da John Deere na semana passada deixou montenegrinos em alerta sobre a manutenção de seus empregos na unidade do Município. Uma das maiores fabricantes de máquinas agrícolas do mundo, a empresa norte-americana justificou as demissões “em razão de variações de demanda de mercado”. No mês passado, também na planta horizontinense, 30 funcionários já haviam sido desligados por um Programa de Demissão Voluntária (PDV).

Mas não há razão para preocupação por aqui, garante a empresa. Questionada pela reportagem, a multinacional explicou que o movimento se resume a fábrica de Horizontina. “Estes ajustes estão concentrados nesta unidade”, colocou, em nota. Conforme a John Deere, a maior parte dos 150 demitidos por lá já tinha contratos com prazo determinado.

RESSALVAS

Apesar de entidades sindicais já terem se posicionado à imprensa sobre uma tendência de crescimento nas vendas de máquinas agrícolas, o que contrariaria a justificativa para as demissões, outra gigante do setor também passa pelo mesmo processo. A AGCO, que possui parque industrial em Canoas e é concorrente direta da John Deere, demitiu mais de 70 trabalhadores entre setembro e outubro. Em todo 2019, as demissões da organização já somam 144.

Deixe seu comentário