Dias de calor já têm se mostrado atrativos à levar as pessoas ao centro nos finais de semana

BOAS VENDAS. Começa a melhor época do ano para setor varejista

Impulsionar vendas e recuperar perdas do ano. Esse é o objetivo dos empresários do comércio nesta que, tradicionalmente, é a melhor época para o setor. Começando nessa semana de Black Friday e emendando com o Natal, a reta final do ano traz esperança para a Economia, sentimento que é corroborado por indicadores positivos divulgados por diferentes entidades especializadas.

Em Montenegro, não é diferente. Na esperança por captarem uma fatia dos consumidores, as lojas dividem suas vitrines entre as promoções “Black” e os itens de Natal, cada uma com sua estratégia. Melhor ainda, muitas até contrataram funcionários temporários, já se preparando em antecipação ao movimento esperado para os próximos dias. A expectativa está em alta.

Paulo Vitor Menezes Ingracio, presidente da CDL

BLACK FRIDAY

Neste ano, a popular campanha de promoções ocorre no próximo dia 29 de novembro. Mas como já ocorreu em anos anteriores, o que seria um dia de grandes descontos é estendido para a semana toda e, em alguns casos, para todo o mês. Com isso, os idealizadores da iniciativa estimam um montante de vendas passando dos R$ 495 milhões na Região Sul do país até este final de semana. A maior fatia ainda fica com as lojas online, mas o comércio físico também aproveita desta movimentação.

No Centro de Montenegro, unidades de grandes redes, como a Magazine Luiza, investem em uma pesada divulgação das promoções. Cada vez mais, ainda, os pequenos – lojas locais, mesmo – também estão entrando na onda. E como destaca o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Paulo Vitor Menezes Ingracio, seja qual for o tamanho do aproveitamento da “Black”, tudo o que for iniciativa para levar o consumidor para as ruas reflete positivamente para o todo.

“Sempre acaba puxando as pessoas para o comércio”, destaca. “E o movimento indo para a rua, a consequência reflete em todo mundo. Até pela questão dessas lojas grandes estarem com a opção de vender pela internet e retirar na loja física, então acaba que a pessoa vai para o centro e estimula o comércio.” Ele aponta que a procura maior da época é por eletroeletrônicos, como celulares e televisores.

GRANA EXTRA

Recuperados do susto da mudança de calendário para o pagamento do IPVA que, sem parcelamento, tiraria o dinheiro das ruas, os empresários do comércio esperam, e muito, por sua parte dos benefícios salariais de final de ano.

É que a primeira parcela do 13º salário entra logo, ainda dentro deste mês. A segunda, até 20 de dezembro. Desta vez, ainda há a “ajuda” extra dos saques das contas do Fundo de Garantia. Somadas, as duas gratificações devem injetar mais de R$ 69 milhões na Economia de Montenegro, o que justifica o ânimo renovado.

“Todo mundo espera por essa época para comprar bem e negociar, tendo o dinheiro na mão para fazer a compra”, pontua o presidente da CDL.

E mesmo que parte dos beneficiários destes valores tenha declarado intenção de pagar contas e não investir ou comprar, é uma expectativa positiva que, com isso, mais consumidores tenham o nome limpo na “praça”. “Às vezes, a pessoa paga uma conta, mas é liberado o crédito para ela adquirir outra coisa. Com isso, ela volta a consumir”, explica Ingracio.

MAIS TEMPO

Além da grana extra, a mudança de clima e, sim, o espírito natalino, dão novos ares aos consumidores atrás de suas compras de Natal. A Câmara de Dirigentes Lojistas de Montenegro aponta que as vendas costumam se dividir entre os diferentes segmentos: vestuário, calçados, itens para casa, eletrônicos, dentre outros, de forma mais parelha do que o que ocorre durante a Black Friday.

E embora a dica seja adiantar as compras para logo no início de dezembro, data em que há maior disponibilidade de produtos e menos correria – muitas fábricas e fornecedores param de trabalhar na segunda quinzena e o presente almejado pode acabar faltando nas prateleiras – é cultural que o movimento maior no comércio ocorra nos últimos dias.

E há um fator positivo para os empresários também neste quesito. O Natal deste ano cai numa quarta-feira. Sem feriadão, é uma oportunidade para que as lojas mantenham-se abertas no domingo, na segunda e até em parte da terça-feira anterior, no dia 24. São mais dias úteis de disponibilidade para o consumidor; mais dias úteis de montenegrinos nas ruas, movimentando a Economia.

INDICADORES

  • Segundo a Caixa, os saques das contas do FGTS vão injetar R$ 18 milhões na Economia de Montenegro. Pode ser maior. Aguarda a sanção do presidente o aumento do valor de saque, dos 500 para R$ 998.
  • R$ 51,6 milhões é o valor a ser injetado no Município com os pagamentos do 13º salário dos assalariados. O dado é do Dieese. Soma-se a este montante, ainda, a gratificação paga aos aposentados.
  • Conforme a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL-RS), serão geradas entre 18 mil e 20 mil vagas de trabalho temporário no Estado neste final de ano. Muitos já começaram.
  • De acordo com pesquisa da Fecomércio-RS, o consumidor gaúcho deve gastar neste ano, em média, R$ 512,70 com os presentes de Natal. O vestuário é o segmento mais citado entre os compradores.
  • Levantamento da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo mostra que os brasileiros devem movimentar R$ 3,67 bilhões com a Black Friday, o maior faturamento da década com a campanha.
  • Já nos supermercados gaúchos, a Associação Gaúcha de Supermercados (Agas) estima crescimento de 9,5% nas vendas de Natal e Ano Novo, na comparação com 2018. Expectativa de muitas vendas.

Deixe seu comentário