Diariamente, utilizamos aparelhos portáteis como tablets, laptops e smartphones para acessar inúmeros serviços. Seja para demandas pessoais ou no trabalho, eles surgiram como uma opção prática e de baixo custo para tornar nossa vida mais ágil e produtiva. No entanto, cada vez mais estamos em contato com notícias que nos alertam para  os inúmeros perigos envolvendo a falta de segurança de dados na rede.

A verdade é que embora muito se discuta esse assunto, poucos são os avanços efetivos para a segurança de informações em dispositivos móveis, especialmente quando os usuários não os utilizam de acordo com a política proposta e com atenção aos procedimentos de segurança.

É enorme a quantidade de dados que fornecemos aos diversos aplicativos que fazem parte do nosso cotidiano. Seja com o objetivo de realizar ações como a simples locomoção e pedidos de comida até aquelas que envolvem transações financeiras diversas que vão muito além das transferências bancárias e pagamento de boletos. Elas na verdade englobam desde apostas online em tempo real até transações milionárias para fins recreativos ou compras, as quais certamente desejamos realizar não apenas de forma rápida, mas também segura.

Há poucos dados pessoais que ainda não tenhamos fornecido a algum aplicativo ou website. Ao mesmo tempo, é cada vez maior o número de opções dessas ferramentas disponíveis para download ou acesso. Se pensarmos, por exemplo nos aplicativos de mobilidade urbana, houve um aumento exponencial no número de opções em um curto espaço de tempo, sendo que até poucos anos atrás nossa única opção era chamar um táxi.

Pense agora na segurança de informações em empresas, onde um número grande de pessoas faz uso de dispositivos móveis e você entenderá a complexidade do problema que estamos abordando. Esse problema se torna mais urgente no cenário atual, onde o trabalho de casa se tornou a realidade de um número muito maior de pessoas ao redor do mundo, consolidando-se como uma tendência mesmo após o fim da pandemia que estamos vivendo.

Embora esses aparelhos facilitem muito a nossa vida, a ponto de sua ausência tornar difícil realizar nossas obrigações diárias no trabalho, eles também nos deixam vulneráveis. Vírus e ataques de hackers podem causar prejuízos financeiros, possibilitar o acesso a dados sigilosos, apagar bancos de dados, entre outros exemplos, podendo até comprometer completamente o funcionamento de uma empresa.

Nossos aparelhos móveis devem ser vistos como mini computadores, sujeitos portanto a diversas ameaças. Entre as mais comuns está o vazamento de dados. A boa notícia é há algumas maneiras de minimizar o risco de enfrentar esses problemas e suas consequências. Inclusive, já estão presentes no mercado empresas de TI (tecnologia da informação) que oferecem serviços voltados ao gerenciamento e segurança de dados.

Algumas recomendações são simples, como por exemplo, não utilizar senhas fracas, que possam ser facilmente deduzidas, ou então conectar-se a redes de internet públicas, mesmo que num primeiro momento você as considere seguras. O problema é que no dia-a-dia a pressão de atingir metas, ser produtivo ou resolver problemas urgentes muitas vezes nos fazem descuidar desse assunto tão importante. Portanto, se você é o líder de uma equipe, reserve um tempo para um treinamento sobre segurança para dispositivos móveis e estabeleça procedimentos que devem ser seguidos por todos os seus colaboradores. Inclua ainda auditorias nos aparelhos e busque sempre soluções inovadoras que ajudem a sua política de segurança ser efetiva.

Além dos dispositivos fornecidos pelas empresas, é comum que colaboradores façam uso de seus aparelhos pessoais, sob a justificativa de que são mais ágeis ou modernos, por exemplo. Embora pareça mais simples para uma empresa proibir esse ato, é muito pouco provável que isso ocorra na prática. Nesse contexto surgiu a política ou movimento “Bring your own device” (BYOD), que pode ser traduzida como “traga seu próprio aparelho”. Isso, obviamente, gera um desafio ainda maior para os setores de segurança e TI, que passam a trabalhar com variadas marcas e sistemas operacionais.

Apesar de todas as ameaças e desafios mencionados, os dispositivos móveis são uma realidade permanente dentro das empresas, bem como da nossa vida pessoal. Assim sendo, é imprescindível voltarmos nossa atenção para a segurança no seu uso. O ideal é começarmos com soluções simples e fáceis de ser implementadas, como as mencionadas anteriormente. Além disso, é preciso determinar quais os riscos podem ser assumidos por sua empresa em nome do aumento de produtividade e agilidade de comunicação e transferência de dados. Seguindo por esse caminho, resultados cada vez melhores serão atingidos, sem descuidar de algo tão essencial quanto a segurança virtual.

Compartilhar

Deixe seu comentário