No Estado, o menor preço encontrado foi em Canoas, com R$ 4,11. FOTO: REPRODUÇÃO/INTERNET

De novo, ela! No início desta semana, dia 16, o preço de pauta para cálculo do ICMS da gasolina comum teve aumento de R$ 0,075. O fator somou-se a dois reajustes em sequência no valor do combustível nas refinarias, elevado pela Petrobras em novembro após mais de um mês sem nenhuma alteração. O repasse nas bombas está sendo bastante sentido.

O preço médio da gasolina comum nos postos de Montenegro já está em R$ 4,68. No mais barato, o produto é encontrado por R$ 4,539. No mais caro, por R$ 4,799. No ultimo levantamento do Ibiá, em setembro, o valor médio era de R$ 4,40.

O valor local segue a média do Rio Grande do Sul, de acordo com a Agência Nacional do Petróleo. A entidade promoveu levantamento em 360 postos pelo Estado. O menor preço encontrado foi em Canoas, com R$ 4,11; e o maior foi em Bagé, com R$ 5,35.

Ainda nesta segunda-feira, em reunião com o ministro da Infraestrutura, o presidente Jair Bolsonaro reconheceu o problema, apontando os fatores que, em sua percepção, são os culpados. “Lá na refinaria o preço está lá embaixo, ele cresce e fica alto por causa de quê? Impostos estaduais, ICMS basicamente. E depois, o monopólio ainda que existe na questão de distribuição e nós estamos buscando quebrar esse monopólio para diminuir o preço. Só com a concorrência ele pode diminuir”, colocou.

Deixe seu comentário