Além de reajuste nas refinarias, valor para o cálculo do ICMS também aumentou, impactando no combustível

Dois fatores importantes para a precificação dos combustíveis sofrem alteração neste sábado, 16. A gasolina, que vinha dando uma aliviada nos bolsos dos motoristas nos últimos dias, com isso, deve voltar a subir.

Seguindo na política de reajustes que acompanham o mercado internacional, a Petrobrás anunciou nova alta nas refinarias. A sexta delas só neste mês de março. A estatal anunciou que, hoje, a gasolina sairá com o litro custando R$ 1,8235; e o diesel, R$ 2,1871. Na sexta-feira, 15, os valores eram R$ 1.7966 e R$ 2.1871, respectivamente.

Como se não bastasse a alta lá, o ICMS estadual também terá reajuste na data. Entram em vigor, no Estado, os novos preços para a tributação dos combustíveis (que utiliza o sistema de “pauta” no cálculo por Substituição Tributária). A gasolina passa dos R$ 4,2742 para R$ 4,3491, em um aumento de 1,75%. Já o diesel, pula dos 3,3637 para R$ 3,4183 , em um aumento de 1,62%. Será pago, portanto, mais imposto sobre estes produtos.

Resta ainda saber como os revendedores vão receber esses aumentos e se os postos já devem repassar o aumento do custo aos consumidores finais. Se isso não ocorrer hoje, é provável algum tipo de reação do mercado local já nesta segunda-feira, 18.

Mas como nem tudo são notícias ruins, esse reajuste para o cálculo do ICMS traz um impacto positivo – ainda que pequeno – ao gás de cozinha. O produto deve ter o tributo calculado sobre um valor mais barato, que passou dos R$ 5,6303/kg para R$ 5,5991. A diminuição é de 0,55%.

Deixe seu comentário