Setor de clicheria comemora, com orgulho, o sucesso alcançado na premiação nacional do segmento

Empresa local se destacou em importante prêmio da indústria flexográfica

A Erplasti está entre as três indicadas ao Prêmio Qualidade Flexo Professor Sérgio Vay 2018, na categoria Filme Flexível. O reconhecimento existe desde 1993, criado pela Associação Brasileira Técnica de Flexografia e é considerado a mais importante premiação do segmento no país. Representantes da indústria montenegrina estarão em São Paulo no próximo dia 9 de novembro para a cerimônia de entrega e revelação da colocação conquistada.

“Já fomos agraciados só pela indicação”, avalia o gerente administrativo Sérgio Weber. “Esse foi o primeiro ano em que a Erplasti participou, então, para nós, é uma grande satisfação.”

Com 30 anos de atuação e clientes por todo o país, a empresa trabalha com embalagens flexíveis, vendendo para diversas marcas nos ramos de alimentos, higiene e móveis, dentre outros. No prêmio, ela foi destacada pelo cuidado e a qualidade da cromia, a impressão da imagem no plástico fabricado.

“A cromia é a visualização. É ela que vai permitir que você olhe a embalagem e veja que ela está bonita. Você vai procurar um produto do gênero alimentício, por exemplo, e quer ver aquela foto como se aquilo estivesse no prato”, explica Weber.

Em um mercado cada vez mais exigente, a empresa intensificou o investimento em equipamentos, softwares e capacitação da equipe em busca da qualidade na impressão. “A boa resolução é uma exigência”, destaca o gestor da informação, André Erig. “O cliente quer o que ele vê no computador, na arte aprovada no Photoshop, impresso na embalagem. Então é todo um ajuste para evitar perdas na imagem, pois o consumidor, no mercado, compra com os olhos”, define.

COMPOSIÇÃO de efeitos de cor e qualidade de resolução são irretocáveis

Para isso, a Erplasti foi a primeira indústria do Rio Grande do Sul a ter uma máquina full HD que grava e converte o que está na arte para o clichê – a matriz destinada à impressão. O equipamento foi importado da Alemanha em 2016 e, com gravação digital, garante a qualidade reconhecida pelo Prêmio. “A cromia é a parte mais técnica. É o prêmio que todo mundo almeja”, comemora Erig.

Na inscrição, a equipe selecionou um dos produtos, optando pelo composto por mais efeitos de cores e com imagem melhor. A embalagem escolhida levou mais de uma semana para ser concebida. “Lá chegam as amostras e é retirada qualquer identificação da empresa”, explica o gestor. “São duas etapas de avaliação. A primeira é com professores do Senai, que avaliam, e depois vai para uma segunda amostragem, com convidados da área.” A empresa estima que, com o reconhecimento recebido, terá um mercado ainda mais amplo.

A empresa em números
Fabricando embalagens para diferentes segmentos, a Erplasti exporta para os estados de Santa Catarina, São Paulo, Paraná, Minas Gerais e Mato Grosso. Por meio dos clientes, já está em mais de 160 países do mundo. Com 30 anos, a fábrica tem produção de 1.300 toneladas de plástico por mês e trabalha três turnos – da noite de domingo ao fim da tarde de sábado – empregando 350 colaboradores.

Deixe seu comentário