Empresa estima que um litro de etanol mantenha o fogo por cerca de 1h30min

Há dois meses, a MPN Metalúrgica, de Pareci Novo, passou a investir na fabricação de um produto já em alta nas grandes cidades, mas que é novidade aqui na região: as lareiras ecológicas a base de etanol. O produto – pensado para aliar design, portabilidade e sustentabilidade – acabou se apresentando como uma boa opção de diversificação para a tradicional empresa, que já comemora bons resultados com o item.

Jonathan Derlam de Almeida é o idealizador da nova fabricação

A iniciativa partiu do empreendedor Jonathan Derlam de Almeida, de 25 anos. Genro do proprietário da metalúrgica, ele foi convidado a trabalhar na empresa e levou consigo parte da experiência profissional que tinha atuando no ramo de móveis e elétrica em Montenegro. “Eu via que o pessoal costumava comprar essas lareiras. Aí, num domingo de noite, a gente estava pensando em fazer algo diferente aqui e veio essa ideia. Eu fui ver como funcionava e na segunda-feira, nós já fabricamos o nosso primeiro modelo”, conta.

A metalúrgica segue com suas atividades de origem, mas Jonathan destaca a necessidade da diversificação como alternativa para tocar um segmento que apresenta dificuldades em conseguir mão de obra especializada. A empresa já tem 24 anos de mercado.

As lareiras ecológicas são feitas em diversos modelos e tamanhos, de acordo com a vontade do cliente. As três principais são: a de granito; a de madeira MDF, com vidro de proteção; e a de madeira de demolição. As chapas, onde é colocado o fogo, são feitas em inox ou em ferro com pintura eletrostática. Os produtos são leves e equipados com rodinhas, podendo ser carregados para qualquer peça da casa. Hoje, até o banheiro pode ter uma lareira.

Também há modelos não convencionais, de acordo com o gosto e a necessidade do cliente

A base de etanol – combustível renovável obtido a partir da cana-de-açúcar e que pode ser comprado nos postos convencionais, com galão – o produto dura cerca de 1h30min ligado com um litro, dependendo do seu tamanho. Jonathan calcula que o gasto por hora é de menos de R$ 1,00, sem contar os fatores “fumaça” e “sujeira” característicos das lareiras comuns. Para garantir a segurança, os itens são todos revestidos internamente com lã de vidro.

A produção é bem artesanal e a empresa leva cerca de dois dias para finalizar cada lareira, sem contar o tempo de tratamento da madeira. Por isso, há sempre uma semana entre a encomenda e a entrega ao cliente. Os valores variam na média entre R$ 890,00 e R$ 1.200,00, podendo haver variações, visto que cada produto é feito de acordo com a vontade do consumidor. A ideia da metalúrgica, hoje, é expandir seu mercado para municípios onde o frio se estenda por períodos maiores do ano e, ainda, seguir inovando com itens atrativos ao verão.

Deixe seu comentário