Uma das iniciativas do grupo foi um bazar online, pelo Facebook

CONFRARIA DE MULHERES dá exemplo de união e busca por aperfeiçoamento

19 de março de 2020. A data em que o prefeito Kadu Müller decretou o fechamento do comércio de Montenegro para enfrentar a pandemia de coronavírus também é a data de fundação da Confraria das Empreendedoras. Foi uma coincidência que acabou vindo a calhar. Isso porque a iniciativa, criada para unir mulheres empreendedoras da cidade interessadas na cooperação e na inovação, tem feito a diferença no fortalecimento dos negócios participantes em meio à crise e as transformações trazidas pela doença.

E já são mais de 50 empresárias participantes. “O propósito da Confraria não é vender; é eu crescer no negócio”, explica a design de interiores Marcia Farias, que idealizou o projeto. “É eu entender que eu posso ser empreendedora, que eu tenho um negócio sério; e ter a gente para fazer essa rede de ajuda mútua, onde todas apóiam umas as outras e com conteúdo. É bem voltado para o crescimento profissional.”

Marcia Farias, acima, é a idealizadora do projeto. As lives no Instagram, como a da imagem, introduziram a ferramenta de marketing para muitas das participantes; e também serviram para apresentar cada um dos negócios ao grande grupo

A semente para a criação do grupo foi a Feira de Empreendedorismo Feminino que agitou a Estação da Cultura no Dia Internacional da Mulher deste ano. De lá que parte das participantes abraçou a ideia de se unir. Marcia e uma comissão de outras sete empresárias se reuniu para definir as diretrizes do grupo; e teriam, no dia 19, o primeiro encontro oficial com o grande grupo, que passaria a ocorrer mensalmente. “E mesmo em meio à pandemia, fizemos uma abertura virtual, não protelando nada porque percebemos que teríamos que aproveitar o momento para realmente começar”, coloca a idealizadora.

Construindo conhecimento diante do distanciamento social
Ao reunir empreendedoras das mais variadas atividades – comércio de roupas e acessórios, salões de beleza, estéticas, vendedoras de lanches, arquitetas, psicólogas, dentre outras – a Confraria tem muito conhecimento para trocar. E o pontapé inicial para isso foi a realização de lives, no Instagram, onde cada uma apresentou o seu negócio ao grupo.
Além de dar a conhecer o trabalho de cada uma, a atividade foi, para muitas, uma iniciação à ferramenta da live e ao uso do audiovisual. “O vídeo é a primeira atividade de marketing”, explica Marcia. “Se eu tenho um negócio, eu tenho que saber mostrar ele e falar sobre ele. E foi um desafio bem grande para algumas, que ainda não conheciam. Mas a gente precisa se desafiar.”

Como o grupo já é bastante grande, as participantes foram divididas entre as membras da comissão organizadora, que viraram uma referência para o contato direto, o esclarecimento de dúvidas e o auxílio em atividades como a realização da transmissão ao vivo. E é preciso participar do que é proposto. “A Confraria não tem custo. A única coisa que a gente cobra é o engajamento”, conta Marcia.

E em dias em que as vendas presenciais seguem limitadas, além das lives, as empreendedoras estão construindo conhecimento em cima das vendas online. Já tiveram um bazar via Facebook; e, agora, estão se organizando para mais um, via grupo de WhatsApp. “É algo organizado, com regras, e usando ferramentas de marketing”, aponta a organizadora. “São três promoções por pessoa e com tempo determinado. Então, elas precisam pensar em três imagens, produzir a foto e escrever algo para que, quando o cliente olhe, lhe chame atenção. Elas têm que pensar na qualidade e na estratégia de venda.”

E para chamar a clientela, entra em ação a rede da Confraria. Cada uma das mais de cinquenta participantes envia o link do bazar para seus clientes, com a hora certa das vendas. É o simples, mas efetivo, “boca a boca virtual”. Assim, uma acaba divulgando a empresa da outra e potencializando bastante a possibilidade dos negócios.

Elas não vão parar por aqui!
Junto às atividades mensais, a comissão organizadora da Confraria está promovendo diagnóstico das empresas participantes, levantando a realidade e as necessidades de cada uma. “O planejamento estratégico é um dos pontos que a gente quer trabalhar”, conta Marcia Farias. “A gente viu que muitas ainda não têm e isso é fundamental. É definir o que elas querem, quais suas metas e quais seus diferenciais.”

A ideia é que, superada a pandemia, o grupo já possa realizar uma nova feira, menor, no final deste ano; e que, mais uma vez em março, faça um grande evento de negócios. O cadastro para participação está aberto para as interessadas. Basta mandar mensagem para o Instagram da Confraria, em @confraria.empreendedoras, e solicitar o formulário de inscrição. “Estamos buscando todas as empreendedoras de Montenegro que tenham esse propósito de crescerem”, pontua a organizadora.

Deixe seu comentário