Realidade demanda adaptação de empreendedores no que, para muitos, é um novo tipo de venda. FOTO: FLICKR

LIMITES ao comércio não essencial trouxeram mudanças. Veja algumas dicas

Camila Bulgarelli,
publicitária

Com o número de casos de coronavírus crescendo e a alta ocupação hospitalar da Região, Montenegro passou mais uma semana na bandeira vermelha. Terá, ainda, mais a próxima com a restrição antes de ter a chance de voltar para a laranja, caso o panorama passe a ser mais positivo. Do jeito que está, o Município segue com o comércio não essencial fechado – dificuldade extra para empreendedores que seguem com obrigações como aluguel, água, luz e funcionários.

Nessa linha, lojistas só estão podendo vender através de meios eletrônicos e com tele-entrega, o que vem demandando muita criatividade para atrair clientes e efetivar vendas. O desafio é fechar negócios sem a atratividade das vitrines presenciais, devido a redução de circulação; e com um consumidor que não só pensa duas, mas quatro vezes antes de comprar na realidade atual. Para isso, de acordo com a publicitária Camila Bulgarelli, é preciso um bom planejamento e uma comunicação certeira, que consiga chegar até o cliente, em casa.

Apareça
Na medida do possível, divulgue sua marca junto da comunidade. Mantenha perfis em redes sociais atualizados e bem estruturados, mantendo-se relevante junto a seus potenciais clientes. Quem não é visto, não é lembrado!

Conheça seu público
Ao anunciar uma marca, um produto ou um serviço, o empreendedor precisa estar atento em para quem ele está anunciando. “Em relação às mídias digitais, por exemplo, cada uma tem um público diferente. Facebook tem um, Instagram tem outro, Twitter outro. O ideal é ter um conteúdo que é mais direcionado a eles”, explica Camila.

Com isso em mente, uma linguagem e tipo de postagem faz mais sucesso no Instagram, onde está um público mais jovem; do que no Facebook, que é uma rede social mais generalizada. Não é que seja preciso escolher entre uma plataforma e outra – todas são válidas – mas saber adequar o tipo de divulgação que está sendo feito para que ela tenha sucesso no retorno esperado.
Para alguns públicos, é útil até entrar em contato por telefone ou WhatsApp para conhecer demandas e apresentar novidades. Para outros, por vezes, isso pode não ser tão legal.

Valorize seus pontos fortes
Você tem o melhor atendimento? Tem um produto de maior qualidade? Faz itens personalizados? A entrega da sua loja é ágil? Realiza promoções? Com todo mundo tentando negociar à distância, destacar os pontos que fazem o empreendedor ser diferente é uma dica importante.

“Às vezes, os pontos fortes do negócio são óbvios para ti que está na empresa 24 horas por dia, mas as pessoas (clientes) não conhecem”, comenta Camila. Ao pensar em anúncios ou postagens para redes sociais, faço uso desses pontos fortes e coloque-os em destaque.

Pense fora da caixinha

A criatividade é uma aliada importante no momento atual para criar conteúdos diferentes que atraiam potenciais clientes e mostrem que o empreendedor, realmente, é autoridade naquele ramo em que trabalha. Isso também é se diferenciar da concorrência.

Camila cita uma loja de roupas que pode usar do espaço, não só para mostrar produtos, mas para criar conteúdos diferenciados como um “tendências do que vestir em casa na quarentena” ou “como passar ou dobrar corretamente as roupas”.
“Existem várias estratégias de conteúdo, de como mostrar minha marca, de como falar dela. Sempre pensando de forma estratégica, inteligente, focando no que o meu cliente gostaria de ver”, complementa a publicitária.

Mesmo à distância, o atendimento importa
Não é porque você está falando com o seu cliente através do WhatsApp que o atendimento vai se tornar algo frio. Bem ao contrário. “Se a pessoa se sentia bem indo na tua loja e ela não pode ir, mas quer continuar comprando, ela tem que se sentir da mesma forma no canal digital, também”, explica Camila.

E além da gentileza, a agilidade é fator imprescindível. O cliente que procurar a empresa através de mensagens instantâneas não quer esperar muito para receber sua resposta. Com isso, é preciso ter o processo de atendimento bem alinhado, já adiantando as informações básicas, como valor, marca e material, desde a primeira divulgação.

 

Sou Daqui, Compro Aqui – O projeto é uma iniciativa da ACI, da CDL, do Sindilojas, da Prefeitura de Montenegro e do Jornal Ibiá. Está focado em apoiar os empreendedores locais nesse momento de dificuldades, com dicas, suporte e incentivo a valorização dentro da comunidade.

Deixe seu comentário