Na loja onde é gerente, Beatriz diz que são as canecas os itens favoritos escolhidos para as mães

A proximidade do Dia das Mães, uma das principais datas comemorativas do ano, tem trazido algum ânimo ao comércio local; que novamente passou por semanas de portas fechadas diante da piora da pandemia. “A expectativa é a mais positiva possível diante do cenário que estamos passado hoje”, comenta o comerciante Paulo Schneider, um dos líderes do Núcleo do Comércio da ACI Montenegro/Pareci Novo. “Depois do Natal é a data em que mais vende. Tendo a possibilidade de manter as nossas lojas abertas, acreditamos que terão, sim, boas vendas no Dia das Mães.”

Gerente de loja de bazar e itens domésticos no Centro, Beatriz Oliveira Campos compartilha do sentimento. “Essa semana que é o foco do movimento”, pontua, ansiosa por receber os clientes. Ela destaca que, em comparação com 2020, a loja está mais preparada para o cenário de pandemia e como lidar com as limitações impostas pela crise sanitária. “A expectativa é que as vendas cresçam. Sempre tem meta de crescimento”, coloca.

No cenário atual, o presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL), Vitor Augusto Koch, indica que os comerciantes precisam estar atentos ao que quer o cliente. “Preços, promoções e condições facilitadas de pagamento são fatores importantes na hora do consumidor fechar uma compra. Para obter bons resultados em suas vendas do Dia das Mães os lojistas precisam estar preparados, investindo em produtos e canais de comercialização com bom potencial de atração e retenção de clientes”, indica.

INDO ALÉM: SEBRAE DÁ DICAS PARA VENDER MAIS NA DATA

Paulo Schneider, do núcleo local do comércio, avalia que uma das tendências da pandemia – a das vendas por whatsapp e demais canais digitais – devem continuar neste ano. “Vai ser uma venda diferente, até diferente do ano passado. Eu acho que o pessoal já está mais acostumado com a procura do produto pela internet e isso vai ser bem positivo”, avalia. A gerente de loja Beatriz está preparada para isso, também. Conta que a empresa intensificou as vendas à distância no ano passado e seguirá usando o formato. “Isso continua”, relata. A FCDL estima um aumento de 15% nas vendas do varejo gaúcho na comparação com 2020.

A semana iniciou ensolarada, um impulso a mais para a ida às compras, apesar das dificuldades

Vestuário é o favorito

Levantamento da Fecomércio sobre o Dia das Mães, publicado ainda em abril, elencou os segmentos que mais devem movimentar as vendas aqui no Estado: Vestuário (28,6%), Perfumes e Cosméticos (18,7%) e Calçados (9,4%). A comerciante montenegrina Lucia de Mello trabalha nesse setor número 1 e tem esperança de que a data trará boas vendas. “As pesquisas dizem que o Dia das Mães é a segunda melhor data para o comércio. A expectativa é boa”, destaca. Lucia abriu sua loja em 2019, justamente na semana da data comemorativa, e teve bons resultados, apesar de ainda estar iniciando. Como a maioria, infelizmente, acabou enfrentando baixa em 2020, o primeiro ano da pandemia – segundo a FCDL, a crise acarretou em redução de quase 50% entre o Dia das Mães de 2019 e o de 2020 -, mas a esperança é de dias melhores.

 

 

Deixe seu comentário