O PERÍODO ainda é para pesquisar os preços, mas os consumidores não vão ficar sem comprar na Páscoa

Sorteios, promoções e condições de pagamento devem atrair os clientes

Faltando 18 dias para a Páscoa, os montenegrinos ainda não foram às compras dos ovos de chocolate, apenas verificam os preços dos produtos. Alguns preferem presentear com bens duráveis, como roupas e calçados. Outros não abrem mão do chocolate, porque, afinal, é o símbolo da data. Independentemente do item, o que os consumidores querem mesmo é comprar. E a crise não é mais problema, pelo menos até 16 de abril.

Uma pesquisa feita pela Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo, Tendências AGV, revela que 90,7% dos gaúchos farão compras de calçados e/ou vestuários para outono/inverno, para si e para dar de presente, a partir de agora, aproveitando as ofertas comuns antes da Páscoa. Além disso, 68,5% dos entrevistados reduziram suas compras por causa da crise econômica, mas não deixarão de consumir.

PRESIDENTE da CDL, Tiago Feron crê na retomada da economia

De acordo com Tiago Feron, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Montenegro (CDL), a estimativa é de uma melhora de 3% nas vendas para a Páscoa, em nível estadual. “Eu conversei com representantes da Federação e alguns empresários da cidade e acredito que o comércio evolua neste ano”, afirma. Porém, a venda dos produtos depende, é claro, da divulgação das lojas.

O que aparentemente facilita também na hora da compra são as condições de pagamento, além dos sorteios e promoções, que são atrativos aos clientes. “A liberação do dinheiro das contas inativas do FGTS também teve um grande impacto neste sentido, e vai ajudar tanto o consumidor a poder comprar, quanto o lojista a vender”, salienta. Em 2016, durante as vendas de Páscoa, que foi celebrada em 27 de março, houve uma redução de – 2,5% no Estado. “Mas acredito que 2017 será conhecido como o ano da retomada da economia. Bom para todos”, conclui.

Conforme Fabiana Morschel Müller, proprietária de uma loja especializada na venda de chocolates, o período é de pesquisa. “O fluxo de clientes procurando preços baixos e produtos de qualidade está excelente, mas ainda não chegou a época de iniciar as compras, que é duas semanas antes da Páscoa”, destaca. “Esperamos um aumento de 5% nas vendas, como também obtivemos no ano passado”, acrescenta.

É visível, para Fabiana, que o público consumidor retoma o espírito e tradições da Páscoa. Ou seja, o chocolate ainda é o mais procurado. “Cremos que vai ser o ano dos ovos trufados e investimos nas embalagens para atrair o público. As pessoas procuram por produtos bem decorados”, explica a empresária.

LOIVA Dutra e Graciele Vargas foram ontem verificar os preços e procuram por novidades

O que o consumidor procura?
Novidades, preço baixo, boa qualidade e várias formas de pagamento. Há uma lista de critérios a serem seguidos que atraem a clientela. Loiva Dutra, 36 anos, e as filhas Graciele Vargas, 19, e Lara Vargas, 7, começaram ontem a pesquisa por valores acessíveis. “Embora muitos prefiram o vestuário, os ovos de Páscoa são os favoritos, por serem o símbolo da Páscoa”, garante Graciele. “Acredito que serão vendidos muitos dos de colher. É a novidade do momento”, complementa Loiva.

Deixe seu comentário