Vaceli ao lado de Percival e do ex-vice-prefeito Marcos Griebeler

O ex-vereador e secretário municipal em diferentes Administrações Vaceli Flores de Oliveira, 87 anos, faleceu às 3h30min deste sábado, no Hospital Montenegro, vítima de complicações após cair no banheiro de casa há cerca de um mês. Ele deixa a esposa Marta, com quem vivia há 19 anos, e quatro filhos, Marcial, Isaquiel, além do ex-prefeito de Montenegro, Percival. A filha mais velha Araci faleceu há dois anos. Também ajudou a criar a enteada do segundo casamento Maria Giorgiana de Brito Vargas – os dois eram muito próximos. Tinha, ainda, seis netos e dois bisnetos. Vaceli foi casado três vezes.

O ex-vereador ocupou uma cadeira na Câmara de 1983 a 1988, na época o mandato era de seis anos. Além disso, ocupou o cargo de secretário de Viação e Serviços Urbanos e de Agricultura durante os mandados do filho, de 2005 a 2012. Também foi secretário nos governos de Adolpho Schüller Netto, Ivan Zimmer, Roberto Atayde Cardona e Ubirajara Resende Mattana, além de ser funcionário público por quase 60 anos.

Vaceli Flores de Oliveira

Após a queda, Vaceli fraturou a testa em três lugares e os seios da face. Ficou internado no Hospital de Portão, município no qual residia na localidade de Rincão do Cascalho, mas com na instituição não havia um neurologista, a família providenciou a transferência para o Hospital Montenegro. “Aqui ele contraiu uma infecção pulmonar e a coisa começou a complicar, os rins pararam de funcionar. Com ele estava inconsciente, há uns quinze dias, eu me despedi dele, achando que não passaria daquela sexta-feira para o sábado. Mas ele era muito forte, os médicos só estavam esperando parar o coração dele”, lamenta o filho Percival.

Percival vai lembrar do pai como uma pessoa muito estimada. “Ele era muito conhecido e muito amado pelas pessoas. Fui lá na Secretaria de Viação e Serviços urbanos e o pessoal lembrou da memória que ele tinha. Era um homem que usava muito pouco anotações, guardava as coisas na cabeça, tinha uma memória incrível”, comenta.

Percival também elogia o empenho da madrasta ao cuidar de Vaceli. “A Marta cuidou zelosamente por dele. Foi uma pessoa incrível, tratou dele como se trata de uma criança. A gente só tem a agradecer”, frisa.

De “enxadinha” a primeiro “bombeiro”
O filho Isaquiel Brito de Oliveira lembra, orgulhoso, da trajetória do pai como funcionário público. Vaceli começou como o chamado “enxadinha”, nome dado ao profissional responsável por capinar as ruas. “Ele foi o primeiro funcionário a fazer recolhimento do lixo com um caminhão. Na época, a cabine era de madeira”, comenta, lembrando outra atividade desenvolvida pelo pai.

E Vaceli também foi responsável por uma tarefa ainda mais importante. “Não existia Corpo de Bombeiros, então ele atendia as ocorrências de incêndio com um caminhão-pipa. O prefeito Ivan Zimmer deu um capacete para ele”, lembra Isaquiel. O ato foi uma bonita homenagem.

A reportagem do Ibiá também tentou falar com Maria Giorgiana. Contudo, muito abalada pela perda de quem amava como a um pai, ela preferiu não se manifestar.

“Era uma pessoa exemplar. Honesto, trabalhador, sabia tratar todos bem”, define Darci Rodrigues, 69 anos. Ele foi colega de Vaceli na Secretaria de Viação e Serviços Urbanos por mais de seis anos.

O velório ocorreu no sábado, na capela mortuária da funerária Forneck Mattana e o sepultamento na manhã de domingo, no Cemitério Municipal.

Deixe seu comentário