Parte dos equipamentos de transmissão digital já estão na TV Cultura, destaca o diretor André Wagner

Mesmo faltando poucos dias para o prazo final, 31 de janeiro, direção é otimista e afirma que canal não sairá do ar

A TV Cultura do Vale, canal 53 de Montenegro, ainda não migrou para o sistema digital de transmissão televisiva. Desde de 2016, a entidade trabalha para atender as exigências da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e aderir ao novo formato, mas atrasos nos repasses de verbas municipais e problemas em licitações adiaram a conclusão. O diretor executivo da Fundarte, André Luís Wagner, mostra otimismo ao afirmar que até o próximo dia 31 a TV Cultura do Vale vai operar com o sinal digital.

Faltando menos de duas semanas para a extinção do sinal analógico em grande parte das cidades gaúchas e demais regiões do País, a TV Cultura do Vale precisa correr contra o tempo para assegurar aos seus telespectadores a continuidade do acesso à programação.

André explica que a migração começou a ser pensada já no final de 2016. O processo envolveu a elaboração de um projeto para transformar o sinal analógico em digital. Depois de o estudo ser aprovado pelo Ministério das Comunicações, começou um processo que envolveu desde a contratação de um engenheiro especializado na área das telecomunicações até a compra dos equipamentos que farão as transmissões. O investimento inicial anunciado foi de R$ 300 mil, mas devido a reduções de valores no processo licitatório, o custo deve ficar em torno de R$ 230 mil.

Há três meses, a entidade informou que todo o processo deveria ser concluído antes da data limite. Conforme André, isso não ocorreu por dois motivos principais. “Algumas licitações foram frustradas, umas não tiveram interessados. Em outras, as empresas apresentaram produtos diferentes daqueles que a gente queria. E também tivemos de aguardar a liberação total dos recursos do Município, o que só ocorreu em novembro do ano passado”, explica.

Últimos equipamentos estão para chegar
Wagner ressalta que parte dos equipamentos já estão disponíveis para instalação. O restante deve ser entregue à entidade na próxima semana. Assim que isso ocorrer, deve começar a fase de instalação.

Nessa etapa foram adquiridos transmissores, antena e mesa de transmissão. Os demais itens com capacidade para transmissão digital já haviam sido comprados em 2012, quando a TV Cultura do Vale passou a ter como sede o prédio da Fundarte. Por isso, o valor empregado na execução do projeto ficou abaixo do que será gasto por outras empresas de transmissão televisiva, observa o diretor da Fundarte.

O canal não sairá do ar, garante o diretor
Mesmo com o prazo prestes a estourar, André assegura que a programação não sofrerá abalos devido à migração. “Temos alguns equipamentos para transmissão digital e alguns programas gravados em HD. A TV vai continuar no ar, a menos que dê algum problema de instalação, mas a gente não conta com isso. Essa hipótese é improvável”, reforça. Contudo, se algo sair fora do planejado, ainda assim, existe um plano B. “Se isso acontecer, a gente passa a retransmitir o Canal Futura, mas a TV não sairá do ar em nenhum momento”, assegura Wagner.

Com a mudança para o sinal digital, a TV Cultura passa a ser sintonizada pelo canal 53.1. Concluída essa fase, as atenções serão voltadas ao resgate do público que deixou de assistir a TV Cultura devido aos problemas na qualidade da transmissão. Para isso, será realizada uma campanha tendo como foco o telespectador.

A grade de programação da emissora será mantida, sem alterações, até 2019, diz o diretor executivo.

Deixe seu comentário