Em dias quentes, cheiro forte no local leva os moradores a ficarem trancados em casa

Mais um problema envolvendo tubulação e esgoto a céu aberto aparece pelas ruas da cidade. Moradores da Travessa Capitão Porfírio e proximidades sofrem há quase um ano com a situação. Segundo eles, um bloqueio nos tubos subterrâneos não está permitindo a vazão de todo o volume de esgoto das residências, fazendo com que boa parte acabe largada na rua. O mau cheiro, por isso, beira o insuportável.

“Passa aqui num dia quente, pelo meio-dia, para ver. É quase um cheiro de carniça. Não dá para aguentar”, comenta o morador Milto de Azevedo Germany. Residente na Travessa há 31 anos, o auxiliar de serviços gerais conta que desde que o problema começou não consegue almoçar com a porta e as janelas de casa abertas devido ao odor. “Até para sair, dependendo do horário, tem que colocar o nariz dentro da camisa para conseguir passar.”

Indignado com a situação, ele, junto de vizinhos, foi buscar apoio de alguns vereadores, que chegaram a ir até a Capitão Porfírio, no Centro, para registrar a reclamação, mas nenhuma medida concreta foi tomada para resolver a situação. O mesmo com a Prefeitura. “Só prometem que vêm arrumar, mas não. Não sei o que eles estão fazendo por lá”, desabafa. Sem ter certeza, Milto acredita que foi no mês de fevereiro que começou todo o problema.

A Secretaria Municipal de Viação e Serviços Urbanos (SMVSU) informou, por meio da Assessoria de Comunicação, que vai fazer uma vistoria no local e que a questão será colocada na lista de demandas do setor, conforme o cronograma existente. Sobre uma segunda queixa dos moradores — uma possível colocação de asfalto para o melhor trânsito de pedestres e veículos e, também, diminuição do pó levantado pelo atual material existente —, não foi dada previsão. (DM)

Deixe seu comentário