Foto: Divulgação Internet

O começo das aulas na rede pública municipal, hoje, significa também a volta do serviço de transporte escolar gratuito aos alunos. Os dados oficiais indicam que pelo menos 1.700 crianças e adolescentes da área urbana e da zona rural, não atendidos por linhas regulares de ônibus, usarão as vans e os coletivos pagos pela Prefeitura. O edital homologando os contratos emergenciais com quatro empresas foi publicado nesta quarta-feira.

A secretária municipal de Educação e Cultura, Rita Carneiro Fleck, explica que, em dezembro, a Prefeitura abriu concorrência para contratar transportadores que façam o serviço por cinco anos. Contudo, durante a tramitação, houve impugnações e recursos, que impediram a conclusão do processo antes do reinício das aulas. “A alternativa foi fazer um novo chamado, para contratação emergencial. Estas empresas vão prestar o serviço até que seja encerrado o outro processo”, comenta. A Smec acredita que, em 45 dias, tudo estará definido.

Operando com veículos grandes e pequenos, as quatro prestadoras de serviços deverão rodar em torno de 2.400 quilômetros por dia, gerando uma fatura mensal que pode atingir os R$ 270 mil. Os valores por quilômetro rodado oscilam entre R$ 3,55 e R$ 5,85. Segundo a chefe do Serviço de Assistência ao Educando, Regina Josiane Born, a variação leva em conta o tipo de veículo usado (ônibus ou microônibus), o acesso às escolas e a quantidade de alunos transportados. Nos itinerários em que o deslocamento ocorre por vias asfaltadas, o valor do quilômetro rodado é menor.

De acordo com a Smec, é possível que ainda ocorram ajustes nos primeiros dias de aula, em virtude das escolas estaduais. É que, quando ocorreu a contratação, várias instituições ainda não tinham definido as suas datas de volta às aulas, porque precisavam recuperar, primeiro, as aulas perdidas durante a greve dos professores. Algumas sequer haviam iniciado as matrículas. “A Smec, insistentemente, consultou o setor de Transporte Escolar da 2ª Coordenaria Regional de Educação (CRE), buscando informações quanto ao início do ano letivo de 2020, tendo como resposta ‘sem previsão’”, reforça a Secretaria por meio de nota divulgada via Assessoria de Comunicação.

Diante desse quadro, Regina diz que a Smec está aberta para dialogar com os pais dos alunos que eventualmente tiverem problemas na abertura do ano letivo. “Eles devem entrar em contato para que a gente encontre logo uma solução”, afirma. O órgão funciona na Rua São João, 1301, próximo ao Palácio Rio Branco, e atende pelo telefone 3632-3067, de segundas a sextas, das 8h às 12h e das 13h30 às 16h30.

Os transportadores
Reativa Com. de Peças Automotivas e Transporte
– micro-ônibus: valor de R$ 3,55 por km para 366 km rodados com alunos, totalizando R$ 1.288,65.
– ônibus: valor de R$ 5,85 por km para 485 km rodados com alunos, totalizando R$ 2.837, 25.

RS Embeleze e Transportes Ltda
– micro-ônibus: valor de R$ 3,06 por km para 102 km rodados com alunos, totalizando R$ 373,32.
– ônibus: valor de R$ 4,93 por km para 286 km rodados com alunos, totalizando R$ 1.409,98.

Sabrina Schüler de Oliveira Alves ME
– micro-ônibus: valor de R$ 4,47 por km para 99 km rodados com alunos, totalizando R$ 442,53.
– ônibus: valor de R$ 5,78 por km para 492 km rodados com alunos, totalizando R$ 2.843,76.

RM Comércio e Transporte Ltda
– micro-ônibus: valor de R$ 4,45 por km para 187 km rodados com alunos, totalizando R$ 832,15.
– ônibus: valor de R$ 5,45 por km para 423 km rodados com alunos, totalizando R$ 2.305,35.

Deixe seu comentário