A versão impressa continuará sendo emitida normalmente, mas o condutor pode dirigir apenas com a CNH-e. Foto: reprodução internet

O Rio Grande do Sul é a região do Brasil onde mais Carteiras Nacionais de Habilitação (CNHs) digitais foram emitidas até a última segunda-feira, 7, de acordo com os números divulgados pelo Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), empresa pública responsável pela computação. Foram mais de 32 mil pedidos no estado gaúcho, de um total de aproximadamente 140 mil em todo o país.

O serviço está disponível desde o ano passado. O Departamento Estadual de Trânsito (Detran/RS), esclarece que as autoridades aceitam o documento digital nas abordagens, desde que o aparelho celular no qual ele foi instalado esteja funcionando e carregado em caso de fiscalização.

Além de gratuita, a adesão é opcional. O aplicativo (app) pode ser encontrado nas lojas digitais Google Play e App Store. Antes de baixar o app, o condutor deve ter um número de celular e um endereço de e-mail cadastrado na base do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

Para dar seguimento ao processo, o condutor deve dirigir-se a qualquer Centro de Formação de Condutores (CFC) para atualizar os dados pessoais e fazer um cadastro no Portal de Serviços do Denatran ou, para quem possui certificação digital, comunicar todos os dados diretamente no portal desse mesmo órgão.

O Detran/RS destaca que a carteira de habilitação digital armazena todas as informações da carteira impressa, garantindo a autenticidade do documento.

Porém, o departamento salienta que a Carteira Nacional de Habilitação Digital (CNH-e) só pode ser gerada para quem tem a última versão da CNH impressa, que conta com um QR Code (código escaneável em aparelhos eletrônicos) na parte interna.

A versão impressa continuará sendo emitida normalmente, mas o condutor pode dirigir apenas com a CNH-e. Nesse caso, os órgãos de fiscalização salientam que os motoristas precisam ficar atentos ao funcionamento dos smartphone, porque se o aparelho estiver descarregado, por exemplo, será considerado que a CNH não está sendo portada, o que gera uma infração leve, com multa de R$ 88,38, três pontos na carteira e retenção do veículo até a apresentação do documento.

Deixe seu comentário