No ano passado, o Desfile de 7 de setembro foi realizado na Timbaúva

Independência. Evento 2019 terá 20 Entidades e dois homenageados

O tradicional Desfile de 7 de setembro, data da Independência do Brasil, ocorrerá em 2019 na rua Ramiro Barcelos, Centro de Montenegro. Com coordenação e realização da Secretaria Municipal de Educação e Cultura, através do Departamento de Cultura, a atividade está programada para iniciar às 8h. Neste ano, o desfile conta com cerca de 20 instituições participantes e duas homenagens, a Entidade de Filantropia, Cultura e Arte (EFICA) e à professora Sônia Mottin (in memoriam). Em caso de chuva, o desfile será cancelado.

O Desfile inicia no trecho da Ramiro Barcelos, esquina com a rua Fernando Ferrari, e tem a dispersão no cruzamento com a Osvaldo Aranha. Participam do evento: Polícia Civil, Bombeiros, Escoteiros, Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), Efica, EMEF Ana Beatriz Lemos, EMEF Adolfo Schüler, EMEF Lena Pithan, EEEF Yara Ferraz Gaia, EMEF Cinco de Maio, Escola Promorar, EEEF Jorge Guilherme Moojem, Grupo Tribos, Banda da Escola São João Batista, Escolas Rurais, EMEF José Pedro Steigleder, SMEF Walter Belian e Aciclomont.

Sobre os homenageados do desfile de 2019
Falecida em janeiro de 2019, Sônia Mottin dedicou 36 anos de sua vida na educação do município. Durante sua carreira, atuou por oito anos na Secretaria Municipal de Educação e Cultura onde, como Diretora de Desporto, incentivou a prática de esportes nas escolas, realizando torneios e competições de diversos esportes envolvendo toda a comunidade. Natural de Montenegro, Sônia Mottin, nasceu em 1959 e morou por toda a sua vida no município. Casou-se com José Luiz Mottin, no ano de 1982, e deste matrimônio teve três filhos: Sérgio, Bruno e Alexandre.

A Entidade de Filantropia, Cultura e Arte (EFICA) teve início a partir do trabalho de um grupo de mulheres, na qual se destacou a atuação de Maria Eunice Müller Kautzmann, primeira presidente. Em 23 de outubro de 1970, fundaram a Entidade Feminina de Intercâmbio Cultural na América EFICA, tendo em vista a importância da mulher e a conquista de seu espaço, nos vários segmentos da comunidade montenegrina. Em agosto de 1971 foi realizado o registro do Estatuto da EFICA no Cartório de Registro Civil, como pessoa jurídica.

Em 1999 a entidade passou por várias transformações, inclusive no nome. Sua sigla permaneceu a mesma apesar da alteração nominal, pela qual passou a se chamar Entidade de Filantropia, Cultura e Arte, mantendo o objeto principal que é o de estimular e vivenciar a cultura nos seus mais diversos aspectos. Além dos projetos de revitalização dos prédios da Estação da Cultura, a entidade dedica-se a ações sociais, auxiliando lares de idosos, abrigos, creches e escolas.

Deixe seu comentário