A unidade montenegrina do CIEE fica localizada na rua Ramiro Barcelos, 2.200, sala 202

Supervisor em Montenegro, Douglas Aprato afirma que as buscas e divulgações de vagas aumentam depois das festas

Conforme o indicador de vagas divulgado mensalmente pelo Centro de Integração Empresa Escola do Rio Grande do Sul (CIEE-RS), dezembro ainda tem 1.916 vagas para estágio e aprendizagem em todo o Estado. Uma boa oportunidade para jovens que buscam iniciar sua vida profissional, também na área que escolheram estudar.

Em Montenegro, atualmente, de acordo com o supervisor executivo Douglas Aprato, entre 40 e 50 oportunidades de estágio estão em andamento. No programa Aprendiz Legal, Douglas afirma que a demanda também é significativa, inclusive em todo o decorrer de 2017.

“Para os meses de dezembro e janeiro, a oferta de vagas é mais pontual. Após as festas de fim de ano, as buscas e próprias divulgações das empresas são maiores. E os cursos mais requisitados são administração, pedagogia, os de nível médio e as próprias vagas para estudantes de Ensino Médio mesmo”, salienta o supervisor.

A importância do programa de estágio e de aprendizagem, de acordo com o gestor, é principalmente pelo conhecimento e a oportunidade prática adquirida. “Que definirá, muitas vezes, o progresso profissional dos envolvidos. Então a ideia essencial é essa, de acompanhamento prático e experiência da rotina de trabalho”, enfatiza.

E as empresas estão atrás de candidatos proativos, com iniciativa para realizar as atividades e com facilidade de convívio em equipe, assíduos e pontuais.

“Os requisitos para estágio são idade mínima de 16 anos e estar devidamente matriculado em instituição de ensino. Os benefícios são bolsa-auxílio e auxílio transporte. O cadastro pode ser feito através do site ou na unidade aqui da cidade”, informa Douglas.

Para o programa de Aprendiz, a idade é a partir dos 14, em fase escolar, e o candidato recebe um salário proporcional à carga horária de 4h trabalhadas, além de benefícios seletistas.

“A diferença de um para outro é a questão da idade e legislação. O Aprendiz tem, concomitantemente com a prática, a parte teórica no CIEE, e as atividades são de 24 meses. A demanda maior, nesse programa é na área de ocupações administrativas”, esclarece.

Experiência ajuda a ter certeza da escolha profissional

Adriane iniciou estágio em jornalismo loge que entrou na faculdade

Estudante de Jornalismo, Adriane Boff, 27 anos, estagiou de dezembro de 2016 a outubro desse ano na TV Cultura do Vale. Atualmente ela trabalha em uma farmácia, principalmente por questões financeiras. “Eu tive a oportunidade de estagiar na TV Cultura logo no início do meu curso. E foi ótimo pra mim, pois além de ser uma extensão das aulas, acabei realmente me apaixonando pelo telejornal”, diz.

De acordo com a jovem, a experiência é maravilhosa especialmente para quem está no início da graduação, e tem dúvidas se está na carreira certa. “Pois a gente acaba conhecendo na prática”, termina.

Jaqueline Anschau, 27 anos, é estudante de Pedagogia. Desde agosto trabalha como estagiária pelo CIEE na Escola Cinco de Maio. “Sou monitora. Assim que iniciei a graduação, no segundo semestre de 2017, já consegui o emprego na área”, relata.

Para ela, a importância é, também, pela experiência adquirida em sala de aula, entendendo como agir com as crianças e os métodos de ensino-aprendizagem, com o suporte da professora regente. “A carga semanal de 6 horas diárias é muito boa porque me permite tempo para estudar. Como faço faculdade a distância, eu que corro atrás das minhas matérias”, pontua.

Douglas comenta que entre os indicadores internos do CIEE, entre 50 e 60% dos estagiários que atuam na iniciativa privada, são efetivados. “Mas mesmo os que não são contratados, o conhecimento adquirido pode ser levado profissionalmente, até mesmo em outro estágio”, termina.

Deixe seu comentário