Crédito: Reprodução Pixabay

Um grupo de professores da rede municipal de ensino de Montenegro está se mobilizando para alterar o índice de reajuste salarial proposto para a categoria pela Administração Municipal. Nesta semana, o prefeito Kadu Müller enviou à Câmara uma proposta aumentando os vencimentos de todos os servidores em 5,5%. Na composição, foram considerados 4,48% referentes à inflação de 2019 e mais 1,02% de ganho real. Os 574 educadores, porém, alegam que têm direito a 12,84%, o mesmo índice que foi usado pelo governo federal para definir o novo piso nacional.

Os mestres também protestam contra um projeto de lei que altera o plano de carreira da categoria. É que mesmo concedendo 5,5% de reposição, restava ainda um pequeno grupo, em torno de 10, que não seria efetivamente contemplado: os ocupantes do cargo de professor na Classe A, Nível N1. São profissionais formados no Magistério, sem curso superior. Para resolver o problema, a Administração Municipal resolveu elevar o padrão apenas desta categoria.

O movimento ainda não tem líderes e os professores que aceitam falar pedem que seus nomes não sejam divulgados. A categoria lembra que, desde 2015, vem pedindo mudanças no Plano de Carreira e que, em recente reunião com o prefeito, foram informados de que, por ser ano de eleições, nada seria feito em 2020. “Como, então, encaminham esse projeto, que achata o vencimento dos profissionais da educação?”, questionam.

Alegando que as duas medidas desvalorizam o trabalho dos mestres, a categoria está se mobilizando para uma atividade neste sábado, às 10h, na Praça Rui Barbosa. A idéia é unir os professores e traçar estratégias para reverter a situação, assegurando o pagamento da variação do piso nacional.

Deixe seu comentário