Na manhã dessa quarta-feira, 7, o Ambulatório de Especialidades do Hospital Montenegro (HM) suspendeu seus serviços por falta de repasses do governo estadual. A mesma atitude foi tomada em outras instituições, como os hospitais Universitário e Nossa Senhora das Graças, em Canoas, também sem verbas. O tema tem sido pauta dos prefeitos da região, que buscam alternativas para sanar o problema.

Em nota, a Prefeitura de Montenegro declarou que a medida do HM traz grande prejuízo aos atendimentos encaminhados pela Secretaria Municipal de Saúde, pois fica prejudicada a referência para encaminhamento de especialidades. A alternativa buscada é, junto de outros municípios, conseguir uma reunião com a Secretaria Estadual de Saúde para buscar soluções imediatas. Ainda na terça, dia 6, o prefeito de Maratá, Fernando Schrammel – enquanto presidente da Associação dos Municípios do Vale do Caí (Amvarc) – entregou um ofício ao Deputado Estadual Lucas Redecker a fim de solicitar apoio na marcação dessa reunião com o governo estadual.

Em Maratá, a Prefeitura anunciou que, sem o HM, vem adequando e encaminhado os pacientes que necessitam de atendimento na instituição para a Central de Marcação de Consultas do Estado do RS, com atendimento na cidade de Porto Alegre. Ela orienta que quem se encontra em fila para ser atendido no Montenegro, deve procurar a secretaria municipal para ser reencaminhado.

Deixe seu comentário