Machado destacou que, na maior parte, há concordância com Montenegro. FOTO: ACERVO PESSOAL MURILO M./DIVULGAÇÃO

O prefeito de Triunfo, Murilo Machado (MDB), se mostrou ponderado ao comentar a indefinição sobre os limites do Município com Montenegro. Ele foi entrevistado pela Rádio Ibiá Web nessa semana. O chefe do Executivo destacou que, na maior parte, há alinhamento com a proposta de Montenegro em voltar com os reconhecidos limites históricos; marcos físicos que sempre foram utilizados e que acabaram derrubados após uma atualização do IBGE que alterou o pertencimento de várias localidades entre uma cidade e outra. Porém, ele reconheceu que ainda não há entendimento quanto ao trecho que envolve parte de localidades como Muda Boi, Fortaleza e Catupi. Machado, contudo, disse estar confiante que se chegará em uma solução o quanto antes.

“Ali (no local em discussão), já tem uma estrada municipal, que é de Triunfo. Nós que damos atendimento para praticamente todos os moradores do local até a passagem que é considerada o limite, que é uma ponte”, comentou. “Montenegro acha que o limite deveria ser a estrada, mas ali já tem moradores que nos procuraram para continuar com suas matrículas em Triunfo. A opção mais razoável que encontramos foi de a estrada continuar sendo a divisa, mais que 500 metros além dela ainda sejam do município que está fazendo a manutenção do local.”

É onde não está havendo acordo. O Conselho para a Correção dos Limites Municipais de Montenegro aponta que não há respaldo legal para a proposta; visto que os 500 metros para dentro desse trecho que seria montenegrino formariam uma nova linha imaginária (não um limite físico, como é a estrada) e ainda acabariam cortando propriedades ao meio. Seria, praticamente, como fez o IBGE no local, ao traçar uma linha reta imaginária para dividir Montenegro e Triunfo. Aline Rosa, que é presidente da entidade de Montenegro, também concedeu entrevista ao Ibiá. Ela apontou que o conselho já buscou documentos e assinaturas dos proprietários de áreas na região que se consideram em território montenegrino. Quer usar isso como argumento para tentar uma nova proposta junto ao Município vizinho.

Murilo, prefeito de Triunfo, pontua que o grupo responsável pela questão, por lá, também deverá fazer pesquisa de campo para analisar as escrituras das áreas. “A intenção é não mexer a parte de escritura com ninguém. Se o morador está com a matrícula em Montenegro, ele vai continuar em Montenegro. Esse ajuste, nós temos que facilitar, pois mudar matrícula e escritura causa transtorno e custo enorme pras pessoas. Não é o que queremos fazer”, sublinha.

O chefe do Executivo de Triunfo avalia que, na próxima reunião entre os grupos municipais que tratam do assunto, deverá se fazer presente; junto ao prefeito Gustavo Zanatta, visando que ambos cheguem a um consenso o quanto antes. Hoje, pela lei, estão valendo os limites do IBGE, que passaram, por exemplo, a comunidade triunfense de Fazenda Quadros para Montenegro. Porém, a localidade, como sempre aconteceu, segue atendida por Triunfo. Para a regularização, ambos municípios precisam oficializar os seus limites em projetos de lei municipais que, em conjunto, serão levados para oficialização na Assembleia Legislativa do Estado. (DM)

Deixe seu comentário