Representantes de diversos veículos de comunicação estiveram no evento dirigido a comunicadores nesta quarta

BISPO de montenegro reforça mensagem de união entre as comunidades

O Bispo da Diocese de Montenegro, Dom Carlos Romulo, e o coordenador de Comunicação da Diocese, padre Diego Knecht, reuniram a imprensa para um café na manhã desta quarta. A atividade foi em alusão ao Dia Mundial das Comunicações, celebrado sempre em consonância com o Dia da Ascensão do Senhor, este ano, em 2 de junho. Há 53 anos, o papa sugere um tema para reflexão neste dia.

O tema da mensagem enviada pelo Papa Francisco em 2019 é “Somos membros uns dos outros (Ef 4, 25): das comunidades de redes sociais à comunidade humana”. O objetivo é discutir o papel das redes sociais como instrumentos de comunhão. “Investir nas relações, afirmar o caráter interpessoal da nossa humanidade, manifestar a comunhão que marca nossa identidade de crentes, comunicar, acolher e compreender o dom do outro e corresponder-lhe”, afirma.

Durante a mensagem, o papa chama a atenção para manifestações negativas no ambiente digital, como a exposição à desinformação; o uso indiscriminado de dados pessoais, visando obter vantagens do plano político ou econômico; o cyberbullyng; a identidade nas comunidades digitais fundada na contraposição do outro; e a realidade do isolamento, principalmente de jovens. “Na complexidade deste cenário, pode ser útil voltar a refletir sobre a metáfora da rede, colocada inicialmente como fundamento da internet para ajudar a descobrir as suas potencialidades positivas”.

Dom Carlos Rômulo endossa a preocupação em utilizar as redes sociais de forma construtiva. “Lamentavelmente as redes podem ser usadas para dividir. Mas a gente sabe que as redes podem mobilizar as pessoas para a solidariedade”. Mas, segundo o bispo, não basta que a mobilização ocorra nas redes sociais. “Eu preciso ser solidário na realidade. Que a rede seja um meio. O objetivo é encontrar as pessoas. Reunir as famílias e as comunidades para a solidariedade e para a fraternidade”.

Diocese jovem
Durante o café, padre Diego apresentou brevemente a estrutura da Diocese. A mais jovem diocese do Rio Grande do Sul completou 10 anos em setembro de 2018. São, ao todo, 30 paróquias e 358 comunidades. “Por sermos ainda muito jovens, estamos criando essa ideia de comunhão”, afirma Dom Carlos Romulo. “São realidades bastante distintas”, diz, referindo-se aos 32 municípios que fazem parte da Diocese e seus mais de 386 mil habitantes.

A Diocese da Alegria já ordenou, desde a sua fundação, 26 sacerdotes. Para o mês de junho são previstas, ainda, duas ordenações diaconais. Jonas Gomes e João Vitor Freitas dos Santos deverão tornar-se padres ainda esse ano. A ordenação sacerdotal de ambos está prevista para dezembro.

Deixe seu comentário