Vandalismo. Depois de toda polêmica envolvendo o material de divulgação do político, o caso foi parar na delegacia

Na noite de segunda-feira, 16, o outdoor instalado às margens da RSC-287 em favor do pré-candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL-RJ) foi parcialmente queimado. O Corpo de Bombeiros foi acionado, conseguiu controlar o fogo e preservar boa parte do material.

De acordo com a enfermeira Camila Caroline de Oliveira, 40, uma das organizadoras do grupo pró-Bolsonaro em Montenegro e também responsável pela instalação do outdoor, ainda não há certeza sobre a autoria da ação. Ela atribui o ato de vandalismo a intolerância promovida na internet.

“A disseminação do ódio nas redes sociais talvez tenha sido uma das motivações para esse atentado. Não posso afirmar que foi um ou mais responsáveis, porque foram muitas pessoas incitando a violência”, disse Camila. “Não esperávamos nada de diferente da esquerda”.

O caso foi registrado pela enfermeira na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA). Ao ser questionada sobre indícios de possíveis suspeitos, ela preferiu não comentar. “Nas redes sociais existem vários vídeos e comentários de pessoas incentivando o ódio, principalmente os estudantes da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul [Uergs]”, diz Camila.

Na edição de ontem, o Jornal Ibiá publicou uma reportagem completa sobre o caso envolvendo a instalação do outdoor. Devido a mensagem do material, que leva ao entendimento que toda a cidade apoia Jair Bolsonaro, uma série de questões foram levantadas.

Falta de legitimidade, excessos por parte dos organizadores, liberdade de expressão, crime eleitoral por antecipação de campanha e tantos outros questionamentos partiram do público que se dividiu entre apoiadores e contrários a iniciativa.

Denúncia por propaganda eleitoral antecipada
Integrantes do Partido dos Trabalhadores (PT) realizaram uma denúncia no Tribunal Regional Eleitoral relativa à possível propaganda política antecipada contida no outdoor, localizado às margens da RSC-287. De acordo com o documento, “há uma falsa unanimidade da opinião pública montenegerina a respeito do pré-candidato supracitado”. Além disso, a mobilização ao evento “inauguração do outdoor”, evidencia a pré campanha.

O estudante e assessor parlamentar Ezequiel Souza, 31, também responsável pela denúncia, fala sobre a importância do cumprimento da lei em um cenário político tão delicado. “Em nossa compreensão, tal material somado a propaganda antecipada no perfil do Facebook de uma das organizadoras, se configura como crime contra a democracia e atentado ao pleito eleitoral deste ano”, afirma.

Ezequiel citou o ato de vandalismo. “Nós repudiamos qualquer ato de vandalismo e outras iniciativas que atentem contra o direito de liberdade de expressão”, destacou Souza.

Enquete nas redes sociais
Diante das diferentes opiniões, o Jornal Ibiá lançou uma enquete nas redes sociais com a seguinte pergunta: Você é a favor ou contrário à instalação da placa na RSC-287?
Até o fechamento desta edição, às 21h, houve um total de 1537 votos na pesquisa nas redes sociais do Jornal Ibiá, confira o resultado:

1295 votos
A FAVOR – 38%
CONTRA – 62%

166 votos
A FAVOR – 64 votos
CONTRA – 102 votos

76 votos
A FAVOR, não mudaria nada = 5%
A FAVOR, se mudar a frase – 13%

TOTALMENTE CONTRA – 78%
TANTO FAZ – 4%

Deixe seu comentário